29/09/2006

Lutar contra o islamismo é coisa de mulher

ronaldo brito roque, 2:19 am
Filed under: especulativas,Religião

Lutar contra o islamismo é coisa de mulher. Eu sou homem. Se eu vivesse num estado islâmico, teria muitas vantagens. Em primeiro lugar, poderia ter quatro mulheres. Talvez eu não quisesse quatro, isso é muita areia para o meu caminhãozinho, mas certamente eu ia querer uma jovem segunda esposa quando minha mulher chegasse aos quarenta. Outra coisa boa é que eu não ia ter de ficar me explicando o tempo todo na minha própria casa. Minha palavra seria lei. Quando eu dissesse que ir à Disney não é bom para as crianças, não precisaria explicar as razões. Minha mulher teria de aceitar e pronto. Quando eu dissesse que minha filha não pode ficar na danceteria até as duas da manhã, também não haveria debate. Filha, esteja em casa às dez! Sim, papai. Isso é o sonho de todo pai de família, e nós o realizaremos graças ao islamismo.

Outra coisa boa dessa religião é não haver mulher na faculdade. Seria uma maravilha. Eu não ouviria professoras idiotas falando bem de Lênin e Che Guevara. Eu não ouviria professoras idiotas dizendo que não existe certo e errado, não existe melhor nem pior, tudo é a mesma coisa, toda moral se equivale. Se toda moral se equivale, então eu apóio os muçulmanos e você vai para casa cozinhar para seu marido. É a lição que elas merecem. Defenderam o relativismo por tanto tempo, agora vão defender a moral cristã em nome de quê? Se todas as morais se equivalem, me dá minhas quatro esposas e vai para o fogão! É disso que elas precisam.

Enfim, atacar o islamismo é coisa de mulher. Nós, homens, só temos a ganhar com a instauração de um estado islâmico.

Será que é assim mesmo?

Será que os homens saem ganhando com um estado islâmico?

O autor deste texto — sendo homem — gosta muito de matemática (por que será que as mulheres a odeiam tanto?) e propõe uma análise quantitativa da questão.

O Brasil tem uma média de 100 homens para 106 mulheres. Vamos imaginar que, desses 100 homens, uns 30 são charmosos e bem educados, e ainda por cima têm uma renda superior a 5000 mil reais mensais. Se na nossa cultura os homens que ganham bem já são mais valorizados pelas mulheres, imagine numa cultura na qual a mulher não pode trabalhar. É claro que esses 30 homens mais ricos serão super valorizados, e fatalmente arrumarão umas três mulheres cada um. Então teremos 30 homens e 90 mulheres casados. Sobrarão 70 homens e 16 mulheres solteiros! É claro que não vai ter mulher para todo mundo, você tem alguma dúvida?!? Desses 70 homens que sobraram, imaginemos que uns 20 têm renda entre 4999 e 2500 reais mensais. Eles vão pegar as 16 mulheres restantes e os 50 homens que sobrarem vão ficar na masturbação. Não vão poder nem virar gueis, porque o islamismo, se não me engano, pune o homossexualismo com a pena de morte.

É triste, mas a realidade adora destruir fantasias bobocas. Se a poligamia fosse instituída, o mais provável é que uma minoria de homens ricos e charmosos teria mulher de sobra, enquanto os pobres e meramente bonitinhos, como eu, ficariam privados de sua realização amorosa.

É claro que pode haver variações no processo que eu imaginei, mas num país onde o número de mulheres não é muito superior ao de homens, a poligamia fatalmente resultaria num exército de solteiros infelizes — e possivelmente criminosos. Sim, porque, matar um homem, aumentaria as chances de conseguir um casamento.

Então, contrariando o título deste artigo, chegamos a uma conclusão surpreendente. Não são as mulheres que têm os maiores motivos para atacar o islamismo. Somos nós! Poligamia, na prática, não significa um homem com várias mulheres, significa alguns homens com muitas mulheres e muitos sem nenhuma.

Não é preciso crer em Jesus Cristo para rejeitar o Islã. A matemática já nos dá motivos de sobra.

Posts relacionados

Mais posts:

« « Lula e o debate| Imagens das Montanhas » »




32 Comments

  1. yuri vieira escreveu:

    Bom, eu tenho uma solução ótima para os homens solteiros: empregá-los como homens-bomba. E, caso o islã domine todo o mundo, ficando completamente desprovido de inimigos, podemos usar os homens-bomba para abrir túneis, demolir pontes e edifícios condenados, apagar incêndios em poços de petróleo, para a exploração de minérios e assim por diante. Um homem-bomba é não apenas útil, mas absolutamente necessário à manutenção da sociedade islâmica, pois diminui a quantidade de homens. Acho que isso fecha sua equação.
    Abração!

    Comentário de 29-9-2006 @ 2:29 am

  2. paulo paiva escreveu:

    Hahahahaha. Ronaldo, ótimo artigo, principalmente juntando com o comentário do Yuri! Quero ver alguém continuar relativista após a sua prova da bronha geral! Hehehehe…

    Comentário de 29-9-2006 @ 9:25 am

  3. Ronaldo Brito Roque escreveu:

    Perfeito, Yuri! Aposto que os homens-bomba são solteiros frustrados, acreditando que obterão a realização amorosa no céu islâmico, quando se casarão com sete virgens. Estão cegos demais pelos dogmas absurdos do islamismo para perceberem que o que os impede de ter a realização amorosa aqui na terra é a própria ordem interna do islã que eles defendem tão radicalmente.

    E, Paulo, vc percebeu o essencial do meu artigo. Eu queria demonstrar que para se defender o casamento monogâmico não é necessário crer nos demais dogmas do cristianismo. Basta ter um cérebro. Em outras palavras, a eficácia social do casamento monogâmico pode ser demonstrada por princípios auto-evidentes. Não é necessário apelar a princípios revelados para demonstrá-la.

    Abração,
    Rbr

    Comentário de 29-9-2006 @ 2:02 pm

  4. princesa Aurora escreveu:

    o Roberto Brito Roque só pode ser uma pessoa muito divertida, acredito piamente que ele gargalhou, ao saber que muitos iriam ler, e ainda outros iriam criticar, e ainda responder. Olhá só amigão, voce não daria conta de tantas mulheres, nem para sustentá-las, nem para satisfaze-las,( mulheres) todas elas até as islamicas com certeza falam demais, é da natureza de todas nós, e voce teria que ter orelhas de elefante, e mais um detalhe: até porque as filhas do islã, não frequentam danceterias. você realmente é um camarada divertidíssimo, se esclareça e apareça para nos divertir mais um pouco. ah!não posso esquecer de dizer, gostei muito do comentário do Yuri, mas se o Roberto virar homem bomba, que tristeza nos daria, iriamos perder essa alegria toda. nada disso, vamos deixar o Roberto por aqui mesmo. muita vida para todos. é bom respeitar a crença de cada um. abraços.

    Comentário de 15-10-2006 @ 6:19 pm

  5. princesa Aurora escreveu:

    estou aguardando alguem retrucar do lado de lá.

    Comentário de 19-10-2006 @ 1:53 am

  6. Luiz Lopes escreveu:

    Aqui no ocidente quando se fala ou se escreve sobre o Islamismo geralmente as pessoas se arremetem a preconceitos e estereótipos frutos de uma visão deturpada e cinematográfica do Islamismo, sem falar de profundo desconhecimento teológico e da cultura milenar do mundo árabe. O texto que deu origem aos devates evidentemente é uma piada, mas vamos questionar sucintamente algumas falácias:
    – A possibilidade de uma segunda , terceira ou quarta esposa na cultura Islâmica é algo não muito comum nas famílias Islâmicas – está atrelado ao consentimento da primeira esposa e responde a toda uma complexidade de relações sociais que determinam freios , contra pesos , pressões – há responsabilidade social que é o centro da cultura islâmica – não há lascívia e libertinagem ou sentimentos vulgares de pura prostação sexual ou vaidade masculina de querer ter uma mulher mais jovem e bela : esse é mais um estereótico que imita um arquétipo na verdade latino-americano dos realcionamentos desvirtuados do seio familiar, do culto à sensualidade e prostituição de costumes, do desregramento das relações socias e sexuais, do desvínculo aos laços e valores de família, do divórcio cada vez mais frequente e universal.
    Olhem vocês para a sociedade que construímos aqui nas Américas com relação à família e casamento? Pornografia, liberalidade, mães solteiras, filhos sem pai, mulheres solteiras que não encontram um homem sério que queira assumir um casamento e uma família,filhos que não obedecem os pais e se aventuram a qualquer repente de paixões, e por aí vai…
    – Há um dogma enraizado na Igreja Cristã que a poligamia seria pecado, e tal dogma é tão frágil quanto o próprio fundamentalismo cristão em alguns pontos. Não há sequer uma passagem bíblica que condene o costume dos judeus com relação à poligamia. Cristo em uma de suas parábolas se refere ás noivas que esperavam O NOIVO, e se evidentemente é representação espiritual jamais seria uma alegoria de um ato pecaminoso usado por Jesus o Filho de Deus que só usou alegorias santas e moralmente dignificantes em sua parábolas. O fim do regime de casamento poligâmico deveu-se à decadência econômica de Judá e Israel enquanto nações antes prósperas (mais notadamente Israel).Sabe-se perfeitamente que Judeus em outras partes do mundo onde se estabeleceram deram continuidade ao regime poligâmico.
    Os Cristãos citam as Cartas do Apostólo Paulo em referência à proibição da poligamia – forçando aí uma exegese e hermenêutica falaciosa, pois o que Paulo condena em suas cartas é a prostituição ,o erotismo,o sexo fora do casamento , e o adultério – e não se deve confundir adultério com poligamia. Além do mais à época de Paulo o regime poligãmico já não existia em Judá devido à miséria financeira ( e moral) daquele povo.
    O islamismo é mais que uma religião que confia num único Deus criador de todas as coisas.Islamismo é tradição , é cultura, são valores que unem um povo e protegem a família da liberalidade desenfreada a que nos jogamos aqui no Ocidente.
    Abraços…

    Comentário de 31-10-2006 @ 8:00 pm

  7. princesa Aurora escreveu:

    Sr. Luiz Lopes, como viu eu não entendo nada de islamismo, nasci católica apostólica romana, mas aos 18 anos, depois de tantas decepções, resolvi conhecer outras religiões, fui kardecista, espirita, evangélica, estudei com as testemunhas de Jeová, o que para mim foi uma experiencia muito boa, mas como a meu ver são muito radicais, não me encaixei, sou simpatizante. Agora… voltando ao islamismo, o que o cavalheiro nos esclarece é muito edificante, e até eu gostaria de conhecer mais dessa religião, que me parece muito confiável. do resto ficou apenas o resto. de repente encontro um lugar onde possa compartilhar experiencias religiosas e espirituais, com pessoas mais esclarecidas que eu. obrigada sr. Luiz Lopez pela maravilhosa informação, e não leve a sério o que foi dito acima, pois poucos de nós sabemos o que é o islamismo, muitos acham que é mulher com lenço na cabeça e homens com várias esposas. desculpe se eu errei ao comentar, em tom de brincadeira, quando na verdade é um assunto muito serio e respeitável. desculpe e muito grata.

    Comentário de 5-11-2006 @ 7:33 pm

  8. Luiz Lopes escreveu:

    À Princesa Aurora,,

    Nãoleve as coisas assim tão à sério também,ahhahahahhahahahha. È que sempre que posso exponho aquilo que sei e que acredito sobre essa imensa diferença de culturas e pensamentos entre Ocidente e Oriente – entre Cristianismo,Judaísmo e Islamismo – lembrando que todas essas Religiões nasceram sobre a raiz da mesma promessa do Senhor feita a Abraão.Beijosssss…

    Comentário de 5-11-2006 @ 10:34 pm

  9. princesa Aurora escreveu:

    olá sr. Luiz Lopes, e cavalheiros acima, na verdade ultimamente não ando levando nada muito a sério, só que no quesito espiritual, me interesso bastante, tenho muito medo de perder a minha alma, até por causa disso não me envolvo demais em questões religiosas, nunca sei quem está falando a verdade. Costumo prestar atenção ao que sinto, procuro me comportar de acordo com o que minha alma sente, e fica feliz, procuro sempre fazer o meu melhor, se outros querem ser ruins e malvados, o azar é deles, eu só respondo pelo que faço, sou responsável por mim. para mim meu Deus está dentro de mim, pois tenho vida, vinda diretamente da fonte. E amo a vida, amo a natureza, fico feliz ao ver as montanhas que me rodeiam todos os dias, dizendo olá princeza Aurora, como estamos felizes por estar nos admirando, olho os pássaros tão alegrinhos, param na janela do meu quarto e brindam a dádiva de viver, e a chuva? não é linda? lava tudo, refresca nosso ambiente, molha a terra que nos dá o alimento, e os cristais? cada um de uma cor diferente, é uma maravilha admirar a criação de Deus. cada detalhe vemos tudo que é feito por ele, para que nós possamos ser felizes, na verdade, quero sempre acreditar que todos os dias da minha vida é um presente. o qual aceito com os braços abertos, até os desafios no final do dia, eu agradeço, pois tudo serve como meio de evoluir espiritualmente.bem como já estou com quase 60 anos, já ví quase de tudo. mas ainda estou admirando tudo que me rodeia, gosto das pessoas por mais simples que sejam, tenho respeito por todos, estamos numa rede, que é chamada a rede da vida, estamos todos interligados, assim sendo; é muito bom, amar, respeitar, ser solidário, companheiro, amigo, procurar ajudar sem nada esperar, sempre me sinto bem quando faço a minha parte. sinto que estou contribuindo com o equilíbrio do universo.
    muito grata, a todos que estiverem lendo esta mensagem. princesa Aurora.

    Comentário de 21-11-2006 @ 1:24 am

  10. Beatriz escreveu:

    Boa tarde a todos, Na sequência do que foi escrito…. deixo a minha opinião.
    Respeito todas as religiões e cada um tem o direito de ter a sua crença… contudo, e de certa forma, abomino a atitude islâmica. O poder que os homens exercem sobre a mulher é inadmissível! Compram-nas, violam-nas, matam-nas. O homom pode tudo e mulher nada!!! Sou contra isso pois considero que homens e mulheres tem os mesmos direitos! Não é por acaso que se costuma dizer que por de trás de um grande homem está sempre uma grande mulher!!! lol. Mas o que mais me arrepia em toda a crença islâmica é o facto de tratarem as mulheres abaixo de tudo!!! Até os animais são mais bem tratados que as mulheres! As mulheres são casadas por conveniência e não por amor! (eu estou noiva, mas escolhi o homem da minha vida! ninguém mo forçou! É maravilhoso quando a mulher pode escolher por quem o seu coração bate), Além do mais, conheço muitas outras práticas em que desrespeitam o direito da mulher. Sou uma leitora assídua de todo este tipo de livros (Queimada Viva; Vendidas; Sultana; e muitos outros) nos quais, na minha opinião, E SEM QUERER DESRESPEITAR OU OFENDER QUEM NELA ACREDITA, esta cultura é abominável e desprezível!!!! A mulher é um pilar muito importante na sociedade e deve ser tratada como tal. Como uma igual e com os mesmos direitos! Mais uma vez informo que o que escrive não é com a intenção de ofender ninguém mas sim de expressas a minha opinião como mulher, trabalhadora, estudante, apaixonada e com uma grande perspectiva do mundo e defensora dos Direitos da Mulher!!!!

    Comentário de 27-11-2006 @ 1:38 pm

  11. princesa Aurora escreveu:

    Olá Beatriz e rapazes, após ter lido o que está aqui, vale lembrar que não existe religião perfeita. O islamismo como o cristianismo,o budismo e outros tantos, tem suas mazelas, nem todas a mulheres islamicas são infelizes, maltratadas, desrespeitada, como se descreveu aqui. Em qualquer lugar deste mundo tem bom e ruim, é uma questão pessoal, é coisa de cada um, pessoas boas e pessoas más, e muitas são cruéis. Quanto a voce Beatriz estar se casando por amor isso é lindo, que felizarda! Parabéns!A maioria se casa por amor. outras por interesse, outras porque são obrigadas pela família,algumas só por questão de status e assim vai… Só que… tudo é mutável, um dia a realidade chega,e aí voce acorda com olheiras, cansada com todos os problemas que nos acompanham pelo resto de nossas vidas, uns maiores e outros menores, tudo isso é crescimento espiritual, Lembrando que temos muitos momentos de felicidade. É tudo junto, e assim vamos aprendendo a perdoar, ser tolerantes, deixar o preconceito, a arrogância, a ganância de lado e valorizar mais o SER do que o ter. Falando dos livros que voce leu… vamos lembrar que o papel aceita tudo, e para vender então, aceita mais ainda, é muito bom filtrar o que se lê. Eu prefiro não acreditar, prefiro saber tudo! na íntegra daquilo que me interessa. Ficou muito feio voce dizer que essa cultura é abominável e desprezível! Como é que voce vai ser uma pessoa de respeito, senão respeita o que nem conhece? Pequise mais, procure conhecer pessoas que praticam o islamismo e só assim poderá ter uma opinião pessoal, e realista. Até agora voce só falou do que leu, mulheres compradas, violadas, mortas, credo que capacidade para tragédia voce tem! Existem islamicas lindas, inteligentes, cultas, e que são muito bem tratadas. voce está no tempo do onça. Já disse o que tinha que dizer. agora é uma questão de CONHECIMENTO, pesquisa, esclarecimento.Não julgue, apenas perdoe. E ajude quando puder, seja menos agressiva, mais dócil, lembre-se que tudo que emite, reflete. é o jogo dos espelhos. abraço a todos e fiquem na luz.

    Comentário de 13-12-2006 @ 9:07 pm

  12. Luiz escreveu:

    Queria que os queridos colegas que aqui estão expondo suas visões sobre a mulher na cultura islâmica, que lessem uma excelente matéria que foi publicada neste mês de dezembro na revista “Caros Amigos” sobre a mulher islâmica e a opinião de mulheres islâmicas que moram no Brasil. Acredito que a matéria é imensamente esclarecedora a respeito de tantos estereótipos e tantas distorções que são repassados pela mpidia ocidental á respeito do Islã.
    Abraços a todos.

    Comentário de 15-12-2006 @ 1:49 am

  13. Luiz escreveu:

    Princesa Aurora queria poder te enviar uma matéria mas não consigo pelo site,você poderia me informar seu email? Abraços…

    Comentário de 15-12-2006 @ 1:53 am

  14. princesa Aurora escreveu:

    olá amigo sr. Luiz, é com imenso prazer que lhe informo o meu email. [retirado a pedido da autora do comentário] Obrigada pelo interesse em esclarecer questões as quais não entendo; mas, com certeza tenho muito interesse. Lembrando sempre que o saber não ocupa lugar.
    O natal já passou mas,espero que tenha sido de luz e muita paz, junto a seus familiares.
    Um grande abraço e feliz ano novo; de preferencia todos aqui juntos. Aurora.

    Comentário de 26-12-2006 @ 11:53 pm

  15. princesa Aurora escreveu:

    olá amigos do O garganta de Fogo, olá Luiz Lopez, recebi seu email, foi muito legal. voce é uma pessoa muito simpática e me pareceu bem tranquilo, muito interessado em aprender mais e mais, isso eu admiro. Realmente, não devo lhe chamar por sr., pois tem um pouco mais da idade do meu filho. estou aguardando a matéria sobre islamismo, andei procurando a revista indicada, mas nesta cidade é um problema…. poderia me dizer a editora? um grande abraço e feliz ano novo. tudo de bom. princesa Aurora

    Comentário de 30-12-2006 @ 4:07 pm

  16. Jeruza escreveu:

    Olá amigos, segundo a matéria, lutar contra o islamismo é coisa de mulher, deixo aqui o seguinte:…..Os arrogantes, briguentos, prepotentes, assassinos e suicidas, tem um baixo conceito de si mesmo, por isso têm uma necessidade enorme de aumentar a sua importância como pessoa (tentam), existe algum vencedor???? não existem como almas, apenas não sabem ainda. Tem um versículo assim: Deus fez o homem segudo sua imagem e semelhança,,,,,conseguem imaginar Deus semelhante a “coisa”????
    …………..Obrigada pelo espaço e atenção…
    …………….Jeruza

    Comentário de 4-1-2007 @ 3:30 pm

  17. Atefah Ceglyo escreveu:

    Bom dia!
    Eu li algums comentários.E não quero palpitar sobre a opinião de ninguém;
    Eu sou muçulmana,e sou casada e sou de família muçulmana brasileira(sem descendência árabe).Falaram e gracejaram sobre poligamia,mas esqueceram de um importantíssimo detalhe,A MULHER COM QUEM O MUÇULMANO CONTRAIR MATRIMÔNIO,DEVE PERMITIR A POLIGAMIA.SE ELA NEGAR A AUTORIZAÇÃO,QUE DEVE SER FEITA PERANTE AS TESTEMUNHAS DO CASAMENTO E AO SHEIKH QUE CELEBRA,SIMPLESMENTE ELE ESTÁ LIMITADO A SER MONOGÂMICO,E CASO ELE ESQUEÇA O QUE FOI DITO PELA ESPOSA NO DIA DA NIKKAH( CASAMENTO) ELE SIMPLESMENTE SERÁ ACUSADO DE ADULTÉRIO!!!!( EXISTE PENA NA LEI ISLÂMICA PARA ISSO “15. Quanto àquelas, dentre vossas mulheres, que tenham incorrido em adultério, apelai para quatro testemunhas, dentre os vossos e, se estas o confirmarem, confinai-as em suas casas, até que lhes chegue a morte ou que Deus lhes trace um novo destino.16. E àqueles, dentre vós, que o cometerem (homens e mulheres), puni-os; porém, caso se arrependam e se corrijam, deixai-os tranqüilos, porque Deus é Remissório, Misericordiosíssimo.” ALCORÃO 4:15-16

    “E entre Seus Sinais está o de haver-vos creado companheiras de vossa mesma espécie para que com elas convivais, e colocado amor e misericórdia entre vós. Verdadeiramente, nisto há sinais para aqueles que refletem”.ALCORÃO 30:21

    No alcorão vemos claramente que a poligamia não é estimulada.
    ” 1. Ó humanos, temei a vosso Senhor, que vos criou de um só ser, do qual criou a sua companheira e, de ambos, fez descender inumeráveis homens e mulheres. Temei a Deus, em nome do Qual exigis os vossos direitos mútuos e reverenciai os laços de parentesco, porque Deus é vosso Observador.2. Concedei aos órfãos os seus patrimônios; não lhes substituais o bom pelo mau, nem absorvais os seus bens com os vossos, porque isso é um grave delito.3. SE TEMERDES SER INJUSTOS NO TRATO COM OS ÓRFÃOS, podereis desposar duas, três ou quatro das que vos aprouver, entre as mulheres. Mas, se temerdes não poder ser eqüitativos para com elas, casai, então, com uma só, ou conformai-vos com o que tender à mão. Isso é o mais adequado, para evitar que cometais injustiças.4. Concedei os dotes que pertencem às mulheres e, se for da vontade delas conceder-vos algo, desfrutai-o com bom proveito.5. Não entregueis aos néscios o vosso patrimônio, cujo manejo Deus vos confiou, mas mantende-os, vesti-os e tratai-os humanamente, dirigindo-vos a eles com benevolência. 6. Custodiai os órfãos, até que cheguem a idades núbeis. Se porventura observardes amadurecimento neles, entregai-lhes, então, os patrimônios; porém, abstende-vos de consumi-los desperdiçada e apressadamente, (temendo) que alcancem a maioridade. Quem for rico, que se abstenha de usá-los; mas, quem for pobre, que disponha deles com moderação.” ALCORÃO 4:1-6

    Pois se recorre à este meio,uma sociedade após uma grande guerra,pois o alcorão tbm ordena que as mulheres e os órfãos sejam amparados(providos de alimentação,moradia,vestimenta e educação).Antigamente,no tempo que o alcorão foi revelado,se uma mulher não tivesse nenhum “responsável”,era acusada de prostituta pela sociedade da época.Isso não somente dentre os árabes,e esta situação se aplica ao caso de Maria Madalena.
    Diferente do que muitos possam imaginar,O sistema de casamento Islâmico inclui a poliginia para proteger e fornecer sustento para a sempre presente maior razão sexual feminina em todas as sociedades humanas. De acordo com a tradição Islâmica. Mohammad (saas) e seus Companheiros (ra) casaram por uma variedade de razões. Eles se casaram com viúvas com filhos, mulheres de idade divorciadas, mulheres que podiam ser vendidas como escravas tanto quanto prisioneiras de guerra. Deve ainda ser salientado que o Profeta Mohammad (saas) não se casou por luxúria ou por incapacidade de lidar com um casamento monogâmico, desde que ele viveu por 25 anos em um casamento monogâmico estrito com sua primeira esposa Khadijah (ra).

    Falar que islam é uma religião( ou modo de vida completo de acordo com a variação da tradução do termo árabe din) fácil e sem regras somente para os homens,é simplesmente conhecimento superficial.
    “30. Dize aos fiéis que recatem os seus olhares e conservem seus pudores, porque isso é mais benéfico para eles; Deus está bem inteirado de tudo quanto fazem. 31. Dize às fiéis que recatem os seus olhares, conservem os seus pudores e não mostrem os seus atrativos, além dos que (normalmente) aparecem; que cubram o colo com seus véus e não mostrem os seus atrativos, a não ser aos seus esposos, seus pais, seus sogros, seus filhos, seus enteados, seus irmãos, seus sobrinhos, às mulheres suas servas, seus criados isentas das necessidades sexuais, ou às crianças que não discernem a nudez das mulheres; que não agitem os seus pés, para que não chamem à atenção sobre seus atrativos ocultos. Ó fiéis, voltai-vos todos, arrependidos, a Deus, a fim de que vos salveis! ” ALCORÃO 24:30-31 dá para notar a recomendação?

    Fico por aqui com o comentário,e deixo aqui evidente,que não tenho a intenção de ofender ou insultar quem quer que seja. Somente vi a necessidade de expôr um pouco mais sobre algo que infelizmente nem todos conhecem.

    Cordialmente,
    Atefah Ceglyo

    Comentário de 14-5-2007 @ 4:12 am

  18. Atefah Ceglyo escreveu:

    Bom dia!

    Eu sou muçulmana,casada com muçulmano e de família muçulmana brasileira( sem descendência árabe).
    Eu li alguns comentários anteriores.Bem,falaram e gracejaram sobre a poligamia,mas esqueceram de um detalhe importantíssimo:A MULHER COM QUEM O MUÇULMANO CONTRARIR MATRIMÔNIO DEVE DAR AUTORIZAÇÃO,PERANTE AS TESTEMUNHAS DO CASAMENTO E AO SHEIKH QUE CELEBRA A CERIMÔNIA.SE ELA NÃO AUTORIZAR,ELE ESTARÁ LIMITADO A SER MONOGÂMICO.CASO ELE “ESQUEÇA” O QUE FOI DITO NA NIKKAH( CASAMENTO),ELE PODERÁ SER ACUSADO DE ADÚLTERO!( ISTO TEM PUNIÇÃO PREVISTA.”15. Quanto àquelas, dentre vossas mulheres, que tenham incorrido em adultério, apelai para quatro testemunhas, dentre os vossos e, se estas o confirmarem, confinai-as em suas casas, até que lhes chegue a morte ou que Deus lhes trace um novo destino.16. E àqueles, dentre vós, que o cometerem (homens e mulheres), puni-os; porém, caso se arrependam e se corrijam, deixai-os tranqüilos, porque Deus é Remissório, Misericordiosíssimo.)ALCORÃO 4:15-16

    Recorre-se a poligamia,em situações extremas,após uma grande guerra,onde muitas mulheres fiquem viúvas e com filhos pequenos( órfãos).Ou em situações semelhantes.O alcorão ordena o amparo às mulheres e aos órfãos(obrigação de provê-los em alimentação,vestimenta,moradia[segura] e educação)
    Na época que Muhammad viveu,mulheres que não tinham “responsáveis legais” por elas,eram tidas como prostitutas pela sociedade.Essa situação é aplicada ao caso de Maria Madalena.( conforme pesquisas.Portanto,não se deve confundir a tolerância com o estímulo,pois o alcorão não estimula essa prática que não seja para os fins mais adequados e que sejam benéficos à ambas as partes.

    ” 2. Concedei aos órfãos os seus patrimônios; não lhes substituais o bom pelo mau, nem absorvais os seus bens com os vossos, porque isso é um grave delito.3. Se temerdes ser injustos no trato com os órfãos, podereis desposar duas, três ou quatro das que vos aprouver, entre as mulheres. Mas, se temerdes não poder ser eqüitativos para com elas, casai, então, com uma só, ou conformai-vos com o que tender à mão. Isso é o mais adequado, para evitar que cometais injustiças.4. Concedei os dotes que pertencem às mulheres e, se for da vontade delas conceder-vos algo, desfrutai-o com bom proveito.5. Não entregueis aos néscios o vosso patrimônio, cujo manejo Deus vos confiou, mas mantende-os, vesti-os e tratai-os humanamente, dirigindo-vos a eles com benevolência.6. Custodiai os órfãos, até que cheguem a idades núbeis. Se porventura observardes amadurecimento neles, entregai-lhes, então, os patrimônios; porém, abstende-vos de consumi-los desperdiçada e apressadamente, (temendo) que alcancem a maioridade. Quem for rico, que se abstenha de usá-los; mas, quem for pobre, que disponha deles com moderação”Alcorão 4:2-6

    Nota-se que a poligamia não está sendo estimulada nem tida como parte indispensável da conduta de um muçulmano.

    O sistema de casamento Islâmico inclui a poliginia para proteger e fornecer sustento para a sempre presente maior razão sexual feminina em todas as sociedades humanas. De acordo com a tradição Islâmica. Mohammad (saas) e seus Companheiros (ra) casaram por uma variedade de razões. Eles se casaram com viúvas com filhos, mulheres de idade divorciadas, mulheres que podiam ser vendidas como escravas tanto quanto prisioneiras de guerra. Deve ainda ser salientado que o Profeta Mohammad (saas) não se casou por luxúria ou por incapacidade de lidar com um casamento monogâmico, desde que ele viveu por 25 anos em um casamento monogâmico estrito com sua primeira esposa Khadijah.

    Muçulmana não é obrigada a casar com quem ela não quer,certas famílias têm esse costume,mas não condiz com a orientação religiosa.”“Oh vós que acreditais! Vós sois proibidos de herdar as mulheres contra a vontade delas, de atormentá-las, a fim de vos apoderardes de uma parte do Mahr (dote dado pelo esposo à esposa na época do casamento), a menos que elas tenham comprovadamente cometido intercurso sexual ilegal. E harmonizai-vos com elas, pois se as menosprezardes, podereis estar depreciando seres que Allah dotou de muitas virtudes”.” Alcorão 4:19

    “E entre Seus Sinais está o de haver-vos creado companheiras de vossa mesma espécie para que com elas convivais, e colocado amor e misericórdia entre vós. Verdadeiramente, nisto há sinais para aqueles que refletem”.Alcorão 30:21

    A proximidade dos casais é a que está no versículo alcorânico que diz: “Elas são as suas verstimentas e vós sois as vestimentas delas” (Surata al-Bácara, 2:187). Na verdade, os esposos são como vestimentas uns para os outros porque eles se dão proteção, conforto, agasalho, apoio,assim ensina o alcorão e o Profeta MUhammad.

    Dizer que islam é fácil e sem regras impostas ao homens,é fruto de um conhecimento superficial do islam.
    Pois no alcorão 7:33 temos:”33. Dize: Meu Senhor vedou as obscenidades, manifestas ou íntimas; o delito; a agressão injusta; o atribuir parceiros a Ele, porque jamais deu autoridade a que digais d’Ele o que ignorais”

    “30. Dize aos fiéis que recatem os seus olhares e conservem seus pudores, porque isso é mais benéfico para eles; Deus está bem inteirado de tudo quanto fazem.31. Dize às fiéis que recatem os seus olhares, conservem os seus pudores e não mostrem os seus atrativos, além dos que (normalmente) aparecem; que cubram o colo com seus véus e não mostrem os seus atrativos, a não ser aos seus esposos, seus pais, seus sogros, seus filhos, seus enteados, seus irmãos, seus sobrinhos, às mulheres suas servas, seus criados isentas das necessidades sexuais, ou às crianças que não discernem a nudez das mulheres; que não agitem os seus pés, para que não chamem à atenção sobre seus atrativos ocultos. Ó fiéis, voltai-vos todos, arrependidos, a Deus, a fim de que vos salveis!”alcorão 24:30-31

    Fico por aqui com o comentário,e deixo cá evidente,que não intenciono ofender,insultar quem quer que seja,nem desrespeitar os leitores que postaram comentário anteriores.

    Para quem quiser contatar meu é adriana.ceglyo@hotmail.com

    Que a Paz estejam com todos!

    Comentário de 14-5-2007 @ 5:30 am

  19. Atefah Ceglyo escreveu:

    Bom dia novamente,devem estar de paciência esgotada comigo..(risos).Venho me explicar; Enviei novo comentário,pois o meu sistema notificou-me de erro de envio.Então formulei outro comentário,que tivesse o conteúdo parecido com o anterior.Peço desculpas pelo acontecido.E as pessoas que desejam fazer críticas,deixo meu e-mail: adriana.ceglyo@hotmail.com

    Comentário de 14-5-2007 @ 5:45 am

  20. Atefah Ceglyo escreveu:

    Boa tarde,Yuri!

    Venho aqui agradecer-lhe.Muito obrigado por me responder tão educadamente.Não me senti ofendida com os comentários anteriores,pois nota-se que ninguém intencionava hostilizar.Todos têm o direito de expressar suas opiniões,desde que não fira a imagem,honra e moral de quem quer que seja.E é gratificante ver como as pessoas se portaram de maneira prudente e educada até mesmo fazendo críticas e piadas[risos].Estou admirada com todos.

    Cordialmente,
    Atefah Ceglyo

    Comentário de 14-5-2007 @ 6:04 pm

  21. yuri vieira escreveu:

    Atefah, tenho apenas uma colocação a fazer. As suras do Corão – e seus respectivos versículos – seriam muito louváveis se não houvesse a xariá (sharia), isto é, a pretensão de tornar as regras de conduta corânicas em leis de fato passíveis de levar a julgamento, num tribunal civil, quem quer que vá contra elas. Há de ser muito confortável ser muçulmano nos EUA ou no Brasil – onde há separação entre igreja e estado – mas não creio que seja tão tranqüilo no Irã ou na Arábia Saudita. Quem quer que tenha dividido, durante os estudos ou o trabalho, a mesma sala com uma mulher atraente sabe que estudou e trabalhou mais concentrado no dia em que ela não apareceu de minissaia. Mas daí a achar que deve haver uma polícia religiosa perseguindo mulheres de minissaia é o fim da picada. Para mim, religião é o nome da minha relação pessoal com Deus, é assunto individual que pode, num segundo momento, ser dividido e compartilhado com os demais. O resto deve ficar para o bom senso.
    {}’s

    Comentário de 14-5-2007 @ 7:23 pm

  22. Ronaldo Brito Roque escreveu:

    Oi, Adriana.

    É um prazer falar com vc. Nunca conheci uma mulçumana de verdade.

    Obrigado por comentar meu artigo. Também desaprovo a poligamia, como vc talvez tenha visto em artigo anterior. Peço-lhe ainda a gentileza de notar que, nos meus textos, já falei mal deste ou daquele aspecto da cultura islâmica, mas nunca do islamismo em si, primeiro porque não pude estudá-lo a fundo e não gosto de falar daquilo que desconheço, e segundo porque respeito todos que têm fé.

    Obrigado pelos comentários. Mais tarde entrarei em contato com vc para lhe pedir algumas dicas de leitura sobre o islamismo.

    Gostaria de lhe perguntar uma coisa. No islamismo o homem tem o dever de sustentar o lar? Se possível escreva um artigo sobre isso e mande para o Yuri. Tenho certeza de que ele vai gostar de publicar.

    Grande Abraço,
    Rbr

    Comentário de 14-5-2007 @ 8:40 pm

  23. Atefah Ceglyo escreveu:

    Bem,até que concordo.Mas a questão de “Estado Islâmico” deve ser aplicado as leis( shariah) tudo levando o conhecimento do próprio povo sobre a base que é o alcorão,as leis islâmicas estão todas contidas no alcorão,nas suratas que foram reveladas em Al-Madinah,é como a democracia,as leis estão formuladas,mas nem todos a conhecem para pô-las em prática e exigir seus direitos.Existe um dito autêntico de Muhammad que diz que todos os muçulmanos devem buscar o conhecimento,justamente para que não sejam dobrados para algo que não corresponde com o que está no alcorão,se aparece um líder de comunidade,e imponha algo,se não estiver condizendo,qualquer um pode muito bem chamá-lo a atenção e mostrar sua falha se for punido por tê-lo feito,tomou então com práticas anti-islâmicas,não quero denotar que o “estado islâmico” é perfeito,mas se ao menos a população estivesse interessada em bem-estar coletivo,e vida social mais igualitária,tentariam pôr em prática ao menos o essencial na conduta,talvez seria melhor do que vemos,e não somente se preocupassem em esquema islâmcio econômico,levando-se em consideração que o islam proíbe a cobrança juros,ou seja,só colocam em prática o que lhes convém,mas não se pode culpar a doutrina,pois a mesma não dá abertura para estar acontecendo o que está.. Ser muçulmano em Arábia Saudita não é ser muçulmano.Pois eles trazem à tona,a cultura árabe pré-islâmica.Em adição, o nascimento de uma filha na família não era uma ocasião de alegria, mas era visto como humilhação. A prática de matar meninas era incontrolada. O Alcorão efetivamente pôs um fim à cruel prática do infanticídio feminino. Ele também repreendeu a atitude dos pais que, após receber as notícias do nascimento de uma menina ao invés de um menino, se lamentavam. Os pais também foram urgidos a sustentar e serem bondosos para com suas filhas. Com o advento do Islam veio o verso do Alcorão condenando aqueles que praticavam infanticídio feminino.“E quando a algum deles é anunciado o nascimento de uma filha, o seu semblante se entristece e fica angustiado. Oculta-se de seu povo pela má notícia que lhe foi anunciada: deixá-la-á viver, envergonhado, ou a enterrará viva? Que péssimo é o que julgam”.Alcorão 16:58-9
    E como parte de uma descrição de vários eventos no Dia do Julgamento, o Alcorão menciona:”Quando a filha sepultada viva for interrogada: por que delito foste assassinada?”.Alcorão 81:8-9

    E tomando o Irã como exemplo,os jovens se sentem “oprimidos”,por quererem importar para o país costumes não muito saudáveis,tais como beber,fumar,sexo fora do casamento,vestimentas extravagantes,as vestimentas devem ser compostas tanto para homens quanto para mulheres justamnte para evitar “atormentação” de ambos,a recomendação de baixar os olhares recai para ambos os sexos e como notamos,seria o melhor a ser feito para toda uma sociedade ou comunidade .O fato de não comercializar tabaco,álcool,já são pontos que somam para o crescimento do local.Se abrissem o comércio para consumo dos mesmos,causaria instabilidade na vida social,política e econômica. As unviersidades do Irã,estão lotadas de mulheres cuidando da educação e desenvolvimento.E a faculdade de Al-Azhar no Egito não fica atrás…estão formando mulheres para formular leis.
    Ser muçulmano no Brasil,EUA é o dobro mais complicado que no Egito,Paquistão,Irã…
    Por justamente aqui infelizmente dá abertura para a indústria do tabaco(que mata mais do armas de fogo todos os anos),álcool e sexo(desde a tal propalada liberdade sexual para jovens de ambos os sexos ,acaba causando maior parte dos problemas sociais que temos nos dias atuais)Se formos esperar sempre que os outros tenham bom senso,vamos nos deparar com problemas cada vez mais graves

    Não estou menosprezando nosso país,mas infelizmente temos que arcar com as consequências do modo de vida que escolhemos.

    Comentário de 14-5-2007 @ 9:15 pm

  24. Atefah Ceglyo escreveu:

    Boa noite,Ronaldo!

    Não se preocupe,eu notei sim,e no fim de uns dos meus comentários anteriores,eu deixo claro.Não me sinti ofendinda com absolutamente nada do que foi dito à respeito.Ajudarei a esclarecer os pontos duvidosos que eu saiba responder,mas se acaso não souber sobre o que se trata,indicarei contato de sheikh que podrá fazê-lo.

    Cordialmente,
    À todos!

    Comentário de 14-5-2007 @ 9:20 pm

  25. José Geraldo escreveu:

    Eu sou ateu e não “respeito” quem tem fé. Para mim fé é uma atitude irracional, geralmente baseada na aceitação como verdade de algo que é absurdo. Esse “respeito” pela fé, na minha opinião, é quase a mesma coisa que ter medo de assumir seu posicionamento pessoal e de dizer o que pensa.

    Eu, enquanto ateu, “saí do armário” e não tenho medo de falar que o rei está nu.

    Comentário de 14-5-2007 @ 10:50 pm

  26. Atefah Ceglyo escreveu:

    Boa noite!
    Espero que todos possam ter se esclarecido mais um pouco sobre a doutrina,porque discutir a conduta( dos seres humanos no geral) é complicadíssimo[risos]

    Cordialmente,
    Atefah Ceglyo

    Comentário de 14-5-2007 @ 11:25 pm

  27. Ronaldo Brito Roque escreveu:

    Adriana,

    quanto mais vc fala, mais eu simpatizo com o islam. Seria maravilhoso viver num mundo sem roque e sem carnaval. Também seria ótimo viver num mundo onde a mulher não pudesse ocupar o legislativo e judiciário. Mulher não nasceu para isso. Concordo plenamente com vc, homens e mulheres têm vocações completamente diferentes, e as normas sociais devem observar essas diferenças, não para tirar a liberdade de ninguém, mas para que ambos realizem com mais precisão as suas respectivas vocações. Estou cada vez mais interessado no islam, e o apóio cada vez mais.

    Só acho que eu não conseguiria viver num mundo sem vinho e sem Dostoiévski. Se o islam vingar no Brasil, acho que vou me tornar um contrabandista de vinho e Dostoiévski. Mas, de qualquer forma, estou torcendo por vocês. Prefiro contrabandear vinho onde não haja carnaval.

    Grande abraço,
    e obrigado de verdade por estar respondendo às minhas questões. Acho que o benefício é para todos os leitores.

    Abraço,
    Rbr

    Comentário de 15-5-2007 @ 8:14 pm

  28. Atefah Ceglyo escreveu:

    Boa noite,Ronaldo!

    Acho que me interpretou mal,a mulher não pode ocupar áreas onde ela poderia colocar em risco sua vida,sua saúde etc…Ela poderia sim atuar no ligislativo para assuntos das mulheres. [risos]

    Em comentários anteriores eu disse claramente, FACULDADE DE AL-AZHAR está com um número de mulheres quase acima do número de homens para estudar o código familiar( da shariah) Como eu havia dito,os assuntos tendem a ser dividos.Mulheres para formular leis com base nos estudos feitos do alcorão e sunna para etiquetas e a maioria dos assuntos relacinados às mulheres. E como também havia dito no e-mail anterior,tem de haver o meio-termo.Não generalizar as coisas. Mulher como juiza cuidando do código criminal,certamente só ela tivesse muito estômago para ver ladrão perder a mão e assassino perder a cabeça.Não é que não possa ser juiza,mas as próprias mulheres abstem-se disso,pois realmente é muito “agressivo” e conseqüentemente um ambiente muito masculino.As mulheres devem sim legislar e principalmente lecionar.

    Cordialmente,
    Atefah Ceglyo

    Comentário de 16-5-2007 @ 1:33 am

  29. Atefah Ceglyo escreveu:

    Ronaldo?! O que tem demais em ler Dostoiévski?Não compreendi sua colocação,e qual relação que isto tem com a resposta do meu e-mail? Não está pensando que muçulmano não pode ler nada que não seja sobre islam está??![risos] Bem,pesquise sobre o assunto no link http://www.muslimheritage.com/ que está em inglês.

    Cordialmente,
    Atefah Ceglyo

    Comentário de 16-5-2007 @ 1:48 am

  30. Ibrahim Vanus escreveu:

    Boa Noite meus amigos.

    Venho esclarecer um pouco mais sobre o Islam.

    Em primeiro lugar que agradecer a oportunidade de estar aqui e falar da religião.

    Sobre a poligamia, acho que a irmã Atefah Ceglyo já bem esclareceu. O homem pode se casar novamente, mas somente se a 1ª esposa deixar. Eu por ex, sou muçulmano há 5 anos, sou casado, mas minha esposa não aceita outra esposa. O que devo fazer então? Nada! Devo me contentar com o que já tenho e ser dedicado para com minha esposa e minha filha (nasce em dez/08).
    Com relação ao conhecimento, todos nós devemos conhecer um pouco antes de dizer. Muçulmano de verdade é aquele que cre em Deus de forma verdadeira. Cremos em Jesus, mas não como filho de Deus. Cremos em todos os profetas que vieram trazendo a mensagem de Deus, em todos os livros (a Torá e a Biblia). rezamos, pedimos a Deus ajuda. Ser muçulmano é fácil, é só se apegar fielmente em Deus e crer. Concordo com o colega que disse que a religião pra ele é entre ele e Deus. Corretíssimo. A religião é entre vc e Deus, e o que vc faz, os outros não sabem, mas Deus sabe de tudo (e espero que Ele me recompense por esta mensagem).
    Sobre o véu, acho que deixa a mulher mais feminina. Não precisa estar de biquini dançando Creu pra ser desejada. Basta a mulher ser como ela realmente é. A natureza cuida, naõ é preciso mostrar o que tem para conquistar as coisas. Aos que criticam o véu, proponho uma discussão: Sabemos que Maria, mãe de Jesus, era uma mulher fiel a Deus, não é mesmo? Vcs conseguem imaginá-la sem o véu?
    Deus sabe o que faz. Gostei dos ensinamentos do irmão acima que disse como era a cultura antiga.

    Bom, para quem quiser conhecer um pouco mais sobre a religião, vá às mesquitas ou então entre em http://www.wamy.org.br, fone: 4125-0800.
    Há mesquitas em todo o Brasil, inclusive em SP. Em SBC, Sto Amaro, República, Av. dos Estados, Brás…
    Me despeço com um forte abraço e desejando mta paz…

    Ahnnn, detalhe, Jadel Gregório, o do salto triplo tbm é muçulmano.

    Comentário de 22-8-2008 @ 9:33 pm

  31. Paula escreveu:

    isso foi a coisa mais idiota que eu ja li na minha vida

    Comentário de 21-10-2008 @ 5:24 pm

  32. Atefah Ceglyo escreveu:

    Irmão Yussuf Vanus..
    Poderia deixar-me email para contato? Meu marido adoraria conversar contigo…
    Wa salam!

    Comentário de 1-11-2008 @ 1:30 am

Sorry, the comment form is closed at this time.




Add to Technorati Favorites



Blogarama - The Blog Directory








81 queries. 0,703 seconds. | Alguns direitos reservados.