24/02/2007

Quero uma opinião masculina

ronaldo brito roque, 8:22 pm
Filed under: especulativas,Religião

Existe algo comum a todos esses livros e filmes que metem o pau no islã. Algo que comparece com a inevitabilidade das ressacas e a persistência inconveniente de um chato. É que o autor é sempre mulher. Seja ocidental, oriental, católica ou atéia, é sempre uma mulher que sobe no palanque para falar mal da poligamia, da opressão e dessas coisinhas que também acontecem aqui, só que sem a permissão de alá. É claro que isso era de se esperar, e longe de mim querer impedir que as mulheres façam suas lamentações. Se tirarmos da mulher o direito de reclamar, talvez não lhe sobre nada. Temos que deixar as pobres se lamentarem. Mas o que me incomoda nessa ladainha toda é a sua unilateralidade. Por toda parte, só se vê mulher reclamando. Só a mulher tem voz. Ainda não vi nenhum livro ou filme com a visão masculina da história. Os muçulmanos gostam de ter quatro esposas? Gostam de poder bater nelas? Eles são mais felizes que nós? Eles se reúnem em bares e riem da nossa burrice em ter aceitado Jesus e sua tediosa idéia de monogamia?

Eu, particularmente, não gosto de bater em mulher (tenho esse defeito que decepciona minha noiva), mas eu gostaria de saber, por exemplo, se a universidade fica melhor ou pior sem mulher. Acho que fica melhor. As mulheres raramente têm senso de lógica. Sempre transformam tudo em questão pessoal. Para a mulher, se um cara bacana e gente boa defende uma idéia, ela é verdadeira. Se o cara que defende a idéia não é bem visto no grupo, sua idéia é irreparavelmente falsa. Mulher nunca enxerga idéias, enxerga apenas aprovação social. É por isso que quase não existe mulher de direita. (Me perdoem as poucas que são exceção. É claro que não estou falando de vocês).

Outra coisa interessante de notar é o seguinte: a mulher adora reclamar da autoridade masculina quando está com as amigas, mas, em privado, ela ama e deseja essa autoridade. Dê muita liberdade à sua namorada, e ela vai achar que você não a ama. Nada agrada mais à mulher do que a autoridade de um homem seguro e emocionalmente estável. Mulher não gosta de sensibilidade (isso ela já tem). Mulher gosta é de autoridade, segurança, estabilidade (material e emocional; aliás, mais material). Uma mulher pode até perdoar um cara que dá uns tapas de vez em quando. Mas ela nunca vai perdoar o cara que não sustenta o lar.

E, de repente, me ocorreu uma idéia legal: um filme que dissesse a verdade sobre a mulher islâmica. Uma muçulmana fugiria para o ocidente, atrás de um homem sensível e liberal. Encontraria esse homem, casar-se-ia com ele, fascinada. “Ele entende meus sentimentos, é tão doce comigo. Ele me deixa ficar por cima.” Mas depois de um tempo ela volta ao oriente, conversa com suas amigas, e começa a enxergar defeitos no marido. “Ele me dá muita liberdade; se eu sair com outro, acho que ele nem vai ligar. Acho que ele não me ama. Os amigos dele têm amantes, ele não tem porque é frouxo. Ele não consegue tirar mais de duas por semana.” E finalmente, o pensamento fatal: “Estou cansada de trabalhar, e ainda ter arrumar tudo aqui em casa. Eu ganho mais que esse desgraçado, e ainda tenho de limpar atrás da privada!” Em pouco tempo ela arrumaria um amante caladão, autoritário, que lhe prometesse uma empregada. Ficaria contente com a facilidade em se conseguir um divórcio no ocidente. Quando levasse a primeira porrada, choraria, faria um escândalo, depois pensaria baixinho: “Ah, alá, como sou feliz!”

Posts relacionados

Mais posts:

« « Submissão| Chutes (11 erros, 10 acertos) » »




7 Comments

  1. yuri vieira escreveu:

    Bom, Ronaldo, posso tomar como parâmetro a mulher mais deslumbrante que conheci na vida: a Hilda Hilst. Ela dizia que a mulher sempre se sente atraída pelo homem que detém algum tipo de poder: ou ele é muito inteligente, ou muito bonito, ou muito influente (política ou economicamente). Ela dizia preferir o primeiro tipo, mas que este mundo demanda a presença do último. 🙂
    Claro, nem preciso dizer que, para ela, o homem tinha de ser matcho, tinha que se impor e saber conduzir. No fundo, a relação homem-mulher não passa duma versão mais complexa da dança de salão.

    Agora, cá entre nós, bater em mulher – e não estou falando daquele “tapinha que não dói” básico – é coisa de homem que não sabe se impor quando tem de se impor e conceder quando tem de conceder e, por isso, apela pra violência. Eu vou continuar metendo o dedo nessa tecla – isto é, a escrotidão que é a vida da mulher no islã – sempre que puder. Se eu não me atrevo a dar porrada em mulher minha, como vou permitir que um barbado idiota o faça? Que ingerência filha-da-puta é essa? Prefiro arrancar a barba do safado com chumbo calibre 45.

    Por outro lado, estou com minha irmã. (Uma das.) Ela diz que não se interessa por homens que não crêem em Deus. Para ela, é na fé inabalável de um homem que reside seu poder e sua força. Concordo. (E, aliás, creio que a Hilda teria sido mais feliz se tivesse se envolvido com um homem de fé. E, de fato, ela sabia disso.) Daí ser bem provável sua personagem – a sua, Ronaldo – ficar mesmo com saudades dos muçulmanos. Segundo os depoimentos que andei lendo no Faith Freedom, é justamente essa fé indestrutível dos muçulmanos que atraem a admiração das garotas ocidentais, essas atentas à destruição dos valores e dos princípios que norteiam nossa civilização. Elas começam a admirar aquele cara que tem palavra. (O maior poder é sempre o da palavra.) Aí elas se entregam, tal como os membros de uma gangue ao seu lider, àquele que diz e cumpre o que diz. Isso até essa fé se voltar contra elas – e aí já é tarde, porque estão casadas, com filhos e vivendo em países islâmicos. Porque o Corão não é um livro inspirado como a Bíblia, que pode ser lida simbolicamente. É a Palavra de Alá e deve ser cumprida ao pé da letra, ainda que a letra seja a lapidação da própria esposa. Se um cristão bate na esposa é porque é um mau cristão e não leu o evangelho. Se um muçulmano espanca sua mulher é porque é um “bom” muçulmano, ou seja, leu e seguiu o Corão.

    Eu acredito que as tradições religiosas têm uma raíz comum e que seguem um roteiro traçado ou por Deus ou pelos Altíssimos em nome Dele. As revelações são upgrades. Todo o planeta precisa se atualizar. Uma das histórias de amor mais bonitas é a de Adão e Eva segundo o Livro de Urântia. Quando eles vieram à Terra, o planeta já era habitado. Mas vieram com uma missão, a que juraram cumprir. Eva quebrou sua palavra e atrapalhou os planos traçados para o planeta. Adão então quebrou sua própria palavra apenas para ficar com ela, do contrário teria sido exilado deste planeta com alguns de seus filhos. É possível que ele tenha dado uns tapinhas nela – hehehe – mas não quis abandoná-la aqui neste mundinho, entregue à própria sorte. Antes do acordo de ambos com os Altíssimos, havia um acordo entre os dois.

    Bom, acho que não respondi a todas as suas indagações. Farei isso depois. Se eu puder.
    {}’s

    Comentário de 25-2-2007 @ 2:50 am

  2. Ronaldo Brito Roque escreveu:

    Grande Yuri. Gosto quando vc demonstra que é algo mais que um mero resenhista do youtube.

    Parece que vc leu meu artigo como se ele fosse dirigido a vc. Não era dirigido a vc. Eu estava falando, em termos gerais, que queria ouvir uma opinião masculina sobre o islamismo. Só tenho visto opiniões femininas.

    Sobre seu post, quero fazer apenas dois comentários:

    1. Não tenho a menor vontade de bater em mulher, nem defendi isso no meu artigo.

    2. Também prefiro conviver com pessoas de fé, e com quem cumpre a palavra, por isso acho que as mulheres são perfeitamente compreensíveis nesse ponto.

    Abraço,
    Rbr

    Comentário de 25-2-2007 @ 8:21 pm

  3. David escreveu:

    Assino em baixo o que você disse sobre as mulheres “As mulheres raramente têm senso de lógica. Sempre transformam tudo em questão pessoal. Para a mulher, se um cara bacana e gente boa defende uma idéia, ela é verdadeira. Se o cara que defende a idéia não é bem visto no grupo, sua idéia é irreparavelmente falsa. Mulher nunca enxerga idéias, enxerga apenas aprovação social. É por isso que quase não existe mulher de direita.” MULHER NUNCA ENXERGA IDÉIAS ENXERGA APENAS APROVAÇÃO SOCIAL. Você é um dos poucos que tem a coragem de dizer isto.

    Comentário de 28-2-2007 @ 11:58 am

  4. David escreveu:

    Vejam este link e sintam o drama do que a putaria feminista faz http://www.youtube.com/watch?v=njMcDalFpKY

    Comentário de 28-2-2007 @ 12:03 pm

  5. Ruslan Queiroz escreveu:

    Excelente relato sobre a ” ALMA” feminina, por tras do lamentos q tentam ser sons de uma Sereia q quer atrair um MACHO ao MAR. esta a sua Satisfação e Cosnciencia de ser Mulher.

    parabéns! 🙂

    Comentário de 1-3-2007 @ 12:52 pm

  6. Luciano escreveu:

    Caro David,
    Homens como você envergonham outros homens, porque reproduzem aquilo que imputa a outros(no caso, as mulheres). Toda generalização é burra. As pessoas são, independente de seu sexo mais ou menos convencíveis pelo mercado que rege a todos: a nós homens e às mulheres. Há várias mulheres de direita e elas são a maioria, infelizmente. Há muitas mulheres que conseguem ver um cara legal num sujeito que às vezes é um pulha para a sociedade: mulheres amam homens e filhos que são péssimos aos olhos da sociedade e só elas enxergam beleza neles. Pode acreditar! Nesse momento, por exemplo, alguém me acha um cara legal…uma mulher! E talvez, muito provavelmente, uma mulher te ache também especial… o que obviamente, não quer dizer que ela, e nem você estejam certos!

    Comentário de 2-3-2007 @ 3:51 pm

  7. David escreveu:

    Luciano
    Hoje é uma boa data pra ti responder. Quero ver você e tuas amiguinhas(feministas ou não) comemorarem muito brevemente o dia internacional da “mué”. QUANDO O MUNDO ESTIVER ISLAMIZADO VOCÊS TODOS SERÃO EMPALADOS OU FUGIRAM PRAS CAVERNAS ONDE É O TEU LUGAR.

    Comentário de 7-3-2007 @ 9:36 pm

Sorry, the comment form is closed at this time.




Add to Technorati Favorites



Blogarama - The Blog Directory








83 queries. 0.690 seconds. | Alguns direitos reservados.