- O Garganta de Fogo - http://blog.karaloka.net -

Amigos suicidas

Com este – cujo nome não vem ao caso – já são quatro os amigos que cometeram suicídio nesses últimos dezesseis anos. (Há outros três que tentaram e não obtiveram sucesso.) Dentre os quatro, três tinham excelente senso de humor, o que certamente significa que saber rir de si mesmo e do mundo não é a conquista máxima da existência humana. Ainda bem que descobri isto logo após escrever minha própria carta de despedida em 1996. Deu chabu. Graças a Deus.

Posts relacionados

Comments Disabled (Open | Close)

Comments Disabled To "Amigos suicidas"

#1 Comment By filipe On 20/10/2007 @ 9:08 pm

yuri,
fiquei sem entender. ce tentou suicidio ou so escreveu a carta? e se tentou (sem exito, obvio), pq diabos vcs (yuri + amigos) sao tao incompetentes?

essa situaçao bizarra me remete ao livro COMO ME TORNEI ESTUPIDO, do frances martin page. o personagem principal passa por vexames memoraveis apos tentar suicidar-se algumas vezes. hilario.

espero q, ao menos, o senso de humor de vcs esteja mais aguçado.
abraço

#2 Comment By yuri vieira On 22/10/2007 @ 11:16 am

Fui tão incompetente quanto qualquer um que tente dirigir após encher a lata com duas garrafas de uísque. Eu estava doidão de cogumelo – feliz da vida, juro – e só saquei que o revólver não tinha balas após dispará-lo contra o peito. Usei parte da história no conto [1]. Mas estou guardando um aspecto muito importante, que catalisou a experiência na época e que não entrou neste conto, para um livro já esboçado, iniciado e abandonado umas quantas vezes. (Nunca estou satisfeito.)

Mas Deus é pai. 😉

#3 Comment By yuri vieira On 22/10/2007 @ 11:39 am

Esqueci de falar sobre os outros três incompetentes.

Um deles não conseguiu morrer porque a mãe, em plena madrugada, ouviu um ruído estranho e, ao investigar os arredores, o surpreendeu dependurado pelo pescoço na árvore do quintal. Gritou, pois, por ajuda atraindo a atenção do pai e do irmão que o retiraram ainda com vida. (Falo dele [2].)

A outra incompetente se jogou da janela do quinto andar – qualquer semelhança com a letra de Pais e Filhos do Renato Russo foi uma coincidência que nos chocou na época – janela esta do apartamento do namorado, com quem então discutia dramaticamente. Segundo o relato que ela fez depois, com humor exemplar, ao passar pelo terceiro andar ela já estava arrependida e, no segundo, tentou então agarrar-se à varanda do vizinho, o que a fez desviar da rota que a cravaria nas lanças da grade que cercava a área do edifício. Teria sido fatal, mas ela caiu mesmo foi sobre os arbustos do jardim.

A terceira e última não passou de uma quase tentativa. A figura se sentou no guarda-corpo da varanda do apartamento dela, oitavo andar, fechou os olhos e, enquanto se preparava para saltar, recebeu pelo celular o telefonema do ex-namorado. (Ex-ficante talvez ficasse mais exato.) Esse cara era eu. No dia do meu julgamento final usarei esse episódio de duas horas de argumentação extenuante – e de conta telefônica caríssima – na defesa da minha alma.

{}’s

#4 Comment By yuri vieira On 22/10/2007 @ 11:52 am

A propósito: minha carta de suicídio é hoje o marcador que se encontra na metade do livro Memórias de um suicida (Ivone Pereira), que recebi de presente de uma ex-namorada conhecedora da minha trajetória. Trata-se de um livro de temática espírita, supostamente narrando o que se passou com Camilo Castelo Branco após seu suicídio. O começo é espantoso e lembra certas cenas do filme A volta dos mortos vivos. Depois entra naquele ritmo didático que me aborrece tremendamente e que me impediu de terminá-lo até hoje. (Pelo menos a gente aprende que o suicídio é dez mil vezes pior do que comer um quilo de bosta e beber um litro de xixi todos os dias de uma vida com a duração da vida da Dercy Gonçalves.) O livro é interessante, mas cacete. Muito diferente dos romances “Há dois mil anos” e “Paulo e Estevão”, de Chico Xavier, que ganhariam 13 Oscars cada caso fossem adaptados para cinema. Pena que nossos cineastas são burros e deixam os filmes com enredos “espíritas” para os japoneses e norte-americanos que não entendem nada de vida após a morte.
{}’s

#5 Comment By filipe On 22/10/2007 @ 10:28 pm

yuri,
puta kiu pariu…HILARIO!!!

(rapaz, eu to chorando de tanto ri)

por via das duvidas, te mandarei logo o numero do meu cel caso eu venha a surtar. pode ligar a cobrar, mas faÇA um bom trabalho ao tentar me convencer. obrigado
abraços

#6 Comment By yuri vieira On 22/10/2007 @ 11:47 pm

Bom, Filipe, então já vou descartar alguns argumentos do tipo “pô, ce nunca mais vai encontrar um pinto como o meu se vc morrer”. Acho que contigo não irá funcionar. LMAO!
Abraço!

#7 Comment By filipe On 23/10/2007 @ 1:54 pm

UIHAIUHAIUAHHIAUHAIUHAIHAHAUIAH
AUIHAIUAHIUAHAIUHAUIHAIUAHIUA

pensei em te responder: BOA TENTATIVA, YURI. MAS DIZER Q NAO EXISTE UM PINTO COMO O SEU NAO É SINONIMO DE COISA BOA. O PRESIDENTE LULA, POR EXEMPLO, TB É UMA FIGURA UNICA.

porem, eu recordei (a tempo) q sua ex-namorada (ou ex-ficante, como keira), ao ouvir tal argumento, “refugou” na tentativa de mergulho. isso me fez pensar q, no minimo, vc utiliza bem seu instrumento. ponto pra vc.

mas confesso q eu me jogaria ao ouvi-lo.
abraçao

#8 Comment By Jane On 02/05/2008 @ 1:41 pm

Há alguns dias, me acometi de uma tristeza imensa…
Domingo dia 27 de abril eu resolvi, me vi com minha família completa e quis levar aquela imagem feliz, tomei uns anti-depressivos muito fortes, ouvindo uns flash backs, com copos e mais copos de um bom vinho, me senti leve e fui adormecendo e achei que seria o fim, em minhas mãos só escrevi tudo em letras maíusculas, pedindo PERDÃO a meus pais, na tarde do dia seguinte, me vi em um hospiral com minha mãe com o mesmo sorriso que creio eu que tenha sido o mesmo ao qual ela me viu pela primeira vez, hoje me sinto melhor, estou na minha casa meu pai reagiu de uma forma calma, só que não sei se ainda tenho certeza que vou continuar com minha vida !!!

#9 Pingback By O Garganta de Fogo » Carta a uma jovem suicida On 02/05/2008 @ 7:53 pm

[…] Cara Jane, eu tenho andado com uma preguiça de rachar o chão tanto no que se refere a escrever neste blog quanto a responder a comentários em geral e a provocações bobas de listas de discussão. Mas este seu comentário no blog — assimilado junto com o café forte que acabo de fazer — me causou um sentimento de urgência pungente. Talvez eu até precise dar uma pausa para ir ao banheiro, entende?, mas… enfim. Você está realmente pensando em se matar? Quer mesmo tentar de novo? Bom, tenho então algumas coisas a lhe dizer: […]

#10 Comment By Willian Alves Singh On 03/05/2008 @ 7:33 pm

Querida Jane,

independente de você acreditar ou não no poder da oração de um Pai-Nosso e de uma Ave-Maria, tomei a liberdade de rezá-los por você. Especialmente por você. Rezei e continuarei rezando para que você tire o quanto antes essa idéia da cabeça. Digo isso, pois já tentei o suicídio uma vez em 17/06/2004 e felizmente estou aqui. Lembro-me o quanto a minha familia foi importante para salvar a minha vida e de um padre que levou-me inconsciente para o hospital. Sem Deus e sem a ajuda deles não estaria aqui escrevendo para você. Tenho 24 anos e sofro de uma doença crônica que me leva de períodos de depressão profunda à crises de euphoria extrema num único dia. Muito dos meus melhores amigos que possuiam essa minha doença, hoje não estão mais aqui. Eles fizeram o mesmo que você pretende fazer. Confesso que sinto falta deles até hoje. Posso lhe dizer que a dor para os que ficam é muito grande, principalmente para os pais. Independente de acreditar ou não, reze a Deus -um Pai-Nosso e uma Ave-Maria ou outra oração que você saiba, se não souber nenhuma converse com Ele assim mesmo – e peça a ele que lhe tire essas idéias negativas e procure IMEDIATAMENTE um psiquiatra – conte tudo a ele e seja sincera pois ele lhe ajudará MUITO. Faça isso por mim e por todos que te amam.
Não vou me estender, mas só quero que você saiba de uma coisa: Deus te ama e existem pessoas como eu – não te conheço- que se preocupam MUITO com você.

Willian Alves Singh

#11 Comment By neli On 29/11/2008 @ 12:06 pm

Óla!
De uns dois anos para cá,sinto uma enorve vontade de morrer…
Sinto que minha vida acaboou,perdi o cara que eu ama por minha culpa mesmo…
Meus páis eu eu ñ estamos mais a algum tempo nos entendendo.
Varios problemas na minha vida profissional,e particular,não tenho com quem contar as pessoas só me critiam,ñ sei como estou viva ainda!!!!
Sou uma inutil,ninguém quer me ajudar..
Minha vida ñ tem solução,se eu morrer ninguém vai se preocupar,ou chorrar
Vai ser um alívio minha ida para todos!

#12 Comment By yuri vieira On 29/11/2008 @ 6:31 pm

Cara Neli
Antes de tomar qualquer atitude impensada — é isto o que o suicídio é, uma atitude burra — leia o que escrevi aqui: [3]. E como diria o cantor argentino Facundo Cabral, [4].
Besos e fica com Dios
Yuri

#13 Comment By Willian Alves Singh On 29/11/2008 @ 8:03 pm

Querida Neli,

gostaria de lhe dizer que a idéia de suicídio não é apenas um privilégio seu. Essa semana -quarta-feira para ser mais exato- tive um dia muito cinza na minha vida, onde esse ato insano não desaparecia de minha mente por nada. Fui até a Igreja e conversei bastante com Jesus no Santíssimo Sacramento. Incrível como Deus te escuta e se importa muito com seus filhos.
Vá até uma Igreja e converse com Deus. Tenho certeza que para esses dias cinzas, Deus lhe dará lindas aquarelas.
Na minha humilde insignificância acabo de rezar por você. Enfim, me importo muito com essa pessoa querida que não conheço chamada Neli.
Fique com Deus.

Beijo,

Willian Alves Singh