- O Garganta de Fogo - http://blog.karaloka.net -

Como você interpreta?

Por conta do doutorado tornei-me uma máquina de ler e escrever. Nada a ver, infelizmente, com o mundo cotidiano. Embora meu tema seja o jornalismo, sua interpretação acadêmica afasta-se bastante do que ocorre no dia-a-dia da redação, embora nunca deixe a distância tornar-se intransponível, ou meu trabalho servirá apenas para calçar mesa.

Dentre as leituras obrigatórias para minha tese está Paul Ricoeur. Num texto sobre a relação entre hermenêutica e ciências sociais há uma passagem muito legal; motivo deste post.

Portanto, de acordo com certo ponto de vista, a hermenêutica é compreendida como a reconstrução de um significado endereçado a um intérprete na forma de uma mensagem. Este tipo de hermenêutica é animada pela fé, por uma predisposição para ouvir, e é caracterizada pelo respeito ao símbolo como forma de revelação do sagrado. De acordo com outro ponto de vista, porém, a hermenêutica pode ser compreendida como a desmistificação de um sentido apresentado pelo interprete sob a forma de um disfarce. Esta forma de hermenêutica é animada pela suspeita, por um ceticismo em relação ao dado, e é caracterizada pela desconfiança em relação ao símbolo, entendido como uma dissimulação do real.

As implicações desta distinção são muito interessantes. Denota não apenas uma diferença de método, mas de maneiras próprias – e até mesmo opostas – de encarar a atividade intelectual e a própria existência. Alguns de nós somos mais propensos a desconfiar, enquanto outros ouvem com maior “caridade”. Obviamente alternamos entre um e outro pólo dependendo do assunto. Não vejo como interpretar proposições políticas senão do segundo modo. Entretanto, não se pode, ao meu ver, entender arte senão do primeiro modo. Em todo caso, ao assumirmos qualquer das posições parecemos já ter escolhido a maneira como nos dispomos em relação ao assunto ou ao autor. Eu, do meu lado, costumo me fiar mais do que desconfiar. E vocês?

Posts relacionados

Comments Disabled (Open | Close)

Comments Disabled To "Como você interpreta?"

#1 Comment By Pedro Novaes On 11/01/2008 @ 10:59 am

Eu me acho razoavelmente equilibrado nesta tarefa: fio ou desconfio conforme o interlocutor. Não nos esquecendo ainda que, em muitas interlocuções, não há predisposição a nenhum tipo de hermenêutica por um ou pelos dois interlocutores: diálogo de surdos. Aqui neste blog mesmo isso volta e meia acontece. Por isso, prefiro os diálogos ao vivo.
Acho que no mundo de hoje, as pessoas do primeiro tipo sofrem bastante. Meu pai, por exemplo, é um cara deste naipe, que crê nesse aspecto sagrado da palavra. Para ele, a palavra carrega sempre verdade. Ele pena pra captar sentidos ocultos, contraditórios ou opostos ao que se diz.