Arquivo para a categoria "este blog"




13/04/2005

Comentários

yuri vieira (SSi), 4:11 pm
Filed under: este blog

Durante o processo de transposição de textos do Movable Type para o Mambo, perdi – acabo de perceber – 411 comentários de visitantes. Um ou outro dá pra recuperar, mas, de modo geral, o trabalho seria equivalente a descarregar um caminhão de cascalho pedrinha por pedrinha. “Vida de nêgo é difíiicil, é difíiiicil como o quê!”

Novo sistema

yuri vieira (SSi), 8:08 am
Filed under: este blog,software

Este site agora é gerenciado pelo Mambo, o CMS que mais me agradou entre todos os que testei. Já o blog continua à base de Movable Type. Embora eu ainda tenha que republicar diversos artigos e contos – deixei o blog apenas para entradas curtas – estou super satisfeito com o resultado. Espero que os visitantes também curtam a melhora da navegação.

21/01/2005

Novo hóspede

yuri vieira (SSi), 4:47 am
Filed under: amigos,este blog

Se tudo correr bem, em breve este site terá, além de mim, outro hóspede – Túlio Caetano -, e conseqüentemente sofrerá algumas mudanças visuais pra lá de criativas. Aguarde…

17/01/2005

Standby

yuri vieira (SSi), 6:30 pm
Filed under: este blog

Este blog andou meio devagar de Dezembro pra cá por dois motivos: o servidor caiu por quase quinze dias; algumas mudanças na estrutura do site estão a caminho. Logo mais retomarei o ritmo anterior. Feliz 2005 a todos!

23/11/2004

Mambo

yuri vieira (SSi), 3:07 pm
Filed under: este blog

Tô dando uma estudada num novo CMS, o Mambo. Manterei o Movable Type para o blog, mas quero um novo sistema para organizar os contos, os livros online, eBooks, artigos publicados, etc. O blog será um coadjuvante. Prefiro gastar meu tempo com meus projetos literários. Esse negócio de blog é para blogueiros profissionais, desses que atraem muitos internautas e mantém certa constância nas publicações.

30/09/2004

70.001

yuri vieira (SSi), 10:35 pm
Filed under: este blog

Como já disse noutra oportunidade, é óbvio que tem gente muuuuito mais requisitada do que eu na Internet. Blogueiros adolescentes inclusive. Mas chegar às 70.001 visitas, para mim, já está passando de bom.

21/08/2004

Mailing list

yuri vieira (SSi), 2:27 am
Filed under: este blog,software

Estou implementando um novo mecanismo de notificações (newsletter) para este site, o PHPList. Embora já esteja funcionando – vc já pode me enviar seu email normalmente – algumas funções ainda estão em fase de teste.

13/08/2004

Censura

yuri vieira (SSi), 8:35 pm
Filed under: este blog,internet,Política

Primeiro o governo brasileiro apoiou uma moção na ONU – juntamente com a África do Sul, China e Cuba, claro – defendendo o controle da Internet. Depois o Lula tentou expulsar um jornalista estrangeiro. Agora vem essa história da Fenaj e sua óbvia intenção de controlar a Imprensa. (Sem falar nessa facada na produção audiovisual.) O mais engraçado é o espanto das pessoas! Meu Deus, qualquer um que tenha lido as propostas do PT, que saiba escutar os discursos do Lula, já previa isso. Será que meus amigos, que tanto criticaram meu artigo sobre a Infernet, ainda achariam que sou apenas mais um paranóico? Bom, por via das dúvidas, meu site já está exilado, não tem mais nenhum vínculo técnico com o Brasil. Minha pátria é a língua luso-brasileira…

Novo domínio

yuri vieira (SSi), 3:26 am
Filed under: escritores,este blog

Não, ao falar de “novo domínio” não me refiro a política, cultura ou religião. Apenas quero anunciar meu novo domínio internético – karaloka.net – no qual se encontra o mesmo site de sempre. Eu e meus ex-sócios do Projeto Solte Sua Imaginação – o fotógrafo paulistano Dante Cruz (atual www.pulsestudio.com.br) e o VJ Alexis Anastasiou – decidimos nos separar amigavelmente. A administração do nosso site estava um desgoverno só, com muito cacique pra pouco índio.
(Continua…)

04/08/2004

Em reconstrução…

yuri vieira (SSi), 10:22 am
Filed under: este blog

Amigos, este blog esteve online por mais de dois anos no site www.projetossi.com.br/yuri. No momento eu o estou transferindo não apenas para este novo domínio – karaloka.net – mas também para um novo servidor (EUA). Assim que todos os detalhes técnicos estiverem resolvidos – fiz um upgrade do Movable Type – recolocarei aqui todos os textos. Desculpe a demora. []’s

10/05/2004

Certos visitantes

yuri vieira (SSi), 12:41 pm
Filed under: Cotidiano,este blog

É incrível como tem gente que perde seu tempo entrando num site apenas para fazer comentários mal-educados e grossos. Em geral, fazem isso cheios de indignação, querendo nos dar “uma lição”. Como se eu fosse aprender algo de quem é capaz de entrar na minha casa e cagar no meu tapete… Se não concordam com o que lêem, deveriam ao menos ter a delicadeza de serem racionais. Ó, emoção! Única razão dos tolos! (Palavra de quem já foi tolo.)

24/03/2004

41106 visitantes

yuri vieira (SSi), 12:13 pm
Filed under: este blog

Segundo o Site Meter, de Agosto de 2003 pra cá, meu site recebeu cerca de 41106 visitas (53023 page views). Eu sei que tem gente mil vezes mais requisitada, mas, para mim, já está de bom tamanho. Obrigado aos navegantes!

09/07/2003

Um ano blogando

yuri vieira (SSi), 4:34 pm
Filed under: este blog,internet,software

Amigos, este blog completou um ano em Maio e, de Junho pra cá, finalmente pude – com a ajuda do Movable Type – reformulá-lo e assumir total poder sobre ele. Agora já não haverá aqueles problemas pentelhos do Blogger, que ora estava em manutenção, ora sumindo com meus arquivos, ora ignorando meus templates, além de outras chatices técnicas. Com o Movable Type este site ganha novas funções, tais como o trackback – que servirá de ponte para outros blogs -, o sistema automático de notificações – agora associado aos meus livros on line – e um sistema próprio de comentários, o que o livrará da sacanagem da Yaccs de engolir todo comentário que ultrapasse os dois meses de idade. Claro que alguns detalhes ainda devem ser corrigidos, como por exemplo a incapacidade que o script de importação de comentários apresentou em compreender os caracteres acentuados, e semelhantes, da língua portuguesa. Nada que uma revisão minuciosa não possa corrigir. O importante é que estou livre desses sistemas gratuitos que, a longo prazo, acabam saindo muito caro, principalmente para quem pretende realizar um trabalho sério.

Outro detalhe digno de nota é o fato de que agora este blog está “RSSficado”, clique aqui. Não sabe o que é isto? Então informe-se:

“O RSS (Rich Site Sumary) é um formato padronizado mundialmente para troca de notícias e usando RSS você pode ler as manchetes de seus sites preferidos sem precisar visitá-los a toda hora. A idéia do Projeto RSSficado é permitir que você acesse notícias de diversas fontes (fontes estas que geralmente disponibilizam notícias apenas para acesso via navegador HTML) em um único programa (RSS reader), permitindo que você se mantenha informado e otimize seu tempo. Geralmente as notícias no formato RSS fornecem um título, resumo da manchete e um link através do qual você pode obter maiores informações, dessa forma você só abre o seu navegador para ler aquilo que realmente lhe interessa.

RSS readers em vários sistemas operacionais. Um que recomendamos é o Feedreader, disponível para usuários do Windows. Outros leitores podem ser encontrados aqui.”

Bom, espero que desfrutem da mudança.

[Ouvindo: Where It’s At – Beck ]

23/05/2002

Meu blog

yuri vieira (SSi), 6:46 pm
Filed under: este blog,Umbigo

Hesitei por muito tempo antes de iniciar meu próprio blog. Sim, pois não queria montar aqui um mero confessionário on line no qual meus parcos leitores não vissem senão o óbvio: que sou “apenas” um ser humano. (Talvez devesse acrescentar: um ser humano metido à besta, já que parece ser este o blogueiro típico.) Pois é, precisei antes definir uma linha, um alvo, sem ficar no banal do dia-a-dia. Afinal, as pessoas adoram comprar biografias só para descobrir, por exemplo, que Poe, além de “poedar”, também peidava (desculpe, não resisti); que Maupassant era, além de genial, um azarado que pirou graças à sífilis contraída muito provavelmente de uma prostituta (dizem as boas línguas que foi hereditária); que Freud desmaiava frescamente cada vez que se deparava ou com o porvir inexorável da própria morte, ou com a possível morte de seu legado; que Chaplin, em sua autobiografia, e talvez por trauma à pobreza passada, passa mais tempo falando de dinheiro que de sua família; que Chopin era, no dia-a-dia, a “esposa” da George Sand; que Henry Miller abandonou uma filhinha de três anos e só a reviu trinta anos depois; que Uccello largava na cama sua injuriada mulher para ficar suspirando diante de uma tela: “que coisa doce é a perspectiva!”; que Einstein, sem sofrer a mesma discriminação equívoca, era tão disléxico quanto George Bush jr; que Jimmi Hendrix foi paraquedista do exército e acreditava, para espanto dos integrantes de sua banda, que a ação norte-americana no Vietnã era legítima; que Albert Camus quase morreu de tédio em sua viagem pelo Brasil; que David Lynch guarda, sobre a lareira da sua casa, um vidrinho com o útero de uma amiga mergulhado em formol (eca!); que boa parte do tom rancoroso de Karl Marx, em “O Capital”, deve-se, segundo ele mesmo, aos doloridos furúnculos e carbúnculos que lhe infestavam a bunda; que Krishnamurti viveu um triângulo amoroso inusitado com um colaborador e a mulher deste; que certo “benfeitor” de Van Gogh usava seus quadros para tapar os buracos dum galinheiro; que Lima Barreto criou a Liga Brasileira Contra o Futebol e achava um absurdo a crença geral de que tal esporte “levaria longe o nome do Brasil”; que Goethe, para horror do pavio curto do Beethoven, inclinou-se reverentemente diante de Napoleão; que Mishima fazia protestos estudantis, não pintando a cara, mas o chão com suas próprias tripas; e, finalmente, que São Francisco de Assis, além de ser um grande homem, também peidava. Santamente.

Sim, é verdade, as pessoas amam descobrir as pequenezes alheias para se sentirem maiores por dentro. Querem rebaixar os grandes para elevarem-se a si mesmas. Mas eu… bem, não quero ser apenas um fofoqueiro de mim mesmo, não quero exibir minha mediocridade – ou pior, minha animalidade – para alcançar uma identificação rasteira com quem me lê. O que me atrai é o “fantástico”. (Não estou falando do programa da Globo não, engraçadinho.) Tampouco quis reunir um elenco de literatos viciados em Borges, Bioy Casares, Bulgakhov, Poe, Lovecraft, etc. para falar do “fantástico” de tabela. Prefiro ser direto, buscando as fontes, acreditando, como os antigos gregos, que se a Arte é um tipo de “cópia” (mímese) do mundo real, então vamos buscar o fantástico na realidade, sem fazer “cópia” da “cópia”, sem mimetizar, enquanto tema, as obras já consagradas.

E, claro, vezenquando não farei outra coisa senão falar e refalar de literatura, política, religião, arte, ciência, enfim, da realidade cotidiana, esse fluxo fantástico de tempo-espaço sobre um eixo eterno e transcendente: a Vida.

Seja o que Deus quiser!



Page 6 of 6« First...456

Add to Technorati Favorites



Blogarama - The Blog Directory








71 queries. 0.859 seconds. | Alguns direitos reservados.