02/11/2006

Monte sua própria teoria conspiratória

daniel christino, 12:04 am
Filed under: Cotidiano,especulativas,extraordinárias

Toda teoria conspiratória é um fetiche da verdade. Ela não é uma mentira pura e simples, não ignora fatos, apenas os interpreta numa chave bastante particular.

Exemplo: Jesus Cristo andou sobre a Terra e era humano, teve filhos com Maria Madalena e a Igreja Católica, numa série de conchavos políticos (os concílios) estabeleceu um cânone cujo interesse não era a verdade, mas a saúde de uma instituição que, ao longo do tempo, especializou-se em cobrar uma taxa regular pela paz de espírito e, claro, por um terreninho no céu. O cristianismo, em toda sua pompa e circunstância, nada mais é do que uma estratégia de marketing bem montada sobre bases filosóficas greco-romanas e alguns devaneios monoteístas de uma religião tribal. Seu objetivo é vender perdão e garantir o poder simbólico do Vaticano. São capazes até de assassinar um Papa, se por acaso ele desenvolver uma consciência.

Outro exemplo. Você confia no que compra num supermercado? As empresas de tabaco vendiam um produto viciante sem a menor vergonha de mentir sobre seus efeitos. Como é que tomamos Coca-Cola sem nem mesmo saber a fórmula ou a origem dos ingredientes? Estamos, na verdade, tomando algo que nos vicia com o objetivo de tomar nosso dinheiro. Grandes corporações não tem lealdade ou ética, são sociopatas exemplares (as famosas “pessoas jurídicas”).

Mas o realmente interessante é a personalidade dos indivíduos engajados na construção das tais teorias. De forma geral e em graus diversos, confundem ficção e realidade, algumas vezes supondo que a ficção é apenas um modo diferente de dizer a verdade (por exemplo, tomam algo falso como real apenas porque se encaixa em sua teoria e, depois, afirmam que o falso poderia muito bem ser real, afinal concorda com a teoria). Estão absolutamente certos de que estão certos. Não lhes ocorre sombra de dúvida. Estão certos de que há dolo na circulação de informações ou versões, que alguém está enganando todo mundo – menos eles – para que a verdade não apareça. Eis o cerne da idéia de conspiração: algum depravado, em nome de seus interesses particulares, distorce, dissimula ou engana todos para que não acreditem no que ele (teórico da conspiração), sem nenhuma dúvida, sabe. Qualquer contra-exemplo apresentado na vã tentativa de argumentar será visto como fruto da manipulação inimiga. “Você foi criado desde pequeno na tradição católica”. “As empresas subornam o governo para conseguir aprovação para venda de seus produtos”.

O que move um teórico da conspiração? Algo muito evidente para quem não acredita em teorias conspiratórias, no entanto extremamente difícil de enxergar para quem acredita: o fetiche da verdade, a volúpia de estar certo. Nada deixa um teórico da conspiração mais satisfeito do que aumentar suas fileiras. Estão sempre comparando as últimas evidências coletadas, reunindo mais provas (os ufólogos sempre possuem um vídeo que “mostrará a verdade”), lambuzando-se da verdade. Assim como os simpáticos chimpazés fazem cafunés uns nos outros, os teóricos da conspiração bolinam os egos, lubrificados pela verdade. Seu discurso está sempre prenhe de virtudes morais (coragem, altruísmo, sacrifício) e desprezo pela mentira.

Eles estão sempre certos. Afinal, sobre qualquer assunto, ignoramos mais do que sabemos. Eis o verdadeiro combustível (por mais paradoxal que pareça, a princípio) de toda teoria conspiratória: nossa ignorância. Repare como todo teórico da conspiração possui acesso a informações que não circulam por aí exatamente porque…há uma conspiração!!! Oh!!!

Certa vez a UNE (que Deus a tenha!) decidiu, num congresso realizado em Goiânia, que a entidade era contra a abertura econômica no Leste Europeu. Certamente havia um plano das esquerdas européias para barrar o “crescimento do capitalismo” e, com mostrou a história, funcionou direitinho. Hoje o comunismo é o principal sistema econômico na Eurásia.

Novamente, o que te faz mal não é o que você sabe, é o que você não sabe (há um milhão de motes como esse povoando uma mente conspiratória, saiba ela disso ou não). Se eu não soubesse nada de democracia, se não tivesse estudado nada sobre como se constrói e quais são os principais problemas de um sistema democrático, não teria como avaliar, por mim mesmo, quando uma democracia vai mal ou bem. E a coisa é enfadonhamente simples. Observe as instituições democráticas: o congresso nacional, o judiciário, a imprensa. O PFL, oposição, conquistou a maioria das vagas no Senado. O maior orçamento do País – São Paulo – está com a oposição. O PT e o presidente estão numa bruta crise política (CPIs). Quando falei sobre um alerta, não era em função de alguma insana teoria conspiratória, mas porque tratorizar a imprensa significa atacar uma instituição democrática. A Globo é independente, a Folha também, o Estadão ídem e, se algo ocorrer, o Garganta continua aberto a manifestações de qualquer tipo. Cadê o perigo???? Na cabeça de quem enxerga a verdade sem a lavagem cerebral dos…arre!! já estou me repetindo e isto está ficando chato. De qualquer forma este é o último texto que escrevo sobre o assunto aqui e alhures.

Por outro lado, não é uma conspiração se realmente estão atrás de você, não é mesmo? 🙂

Posts relacionados

Mais posts:

« « Los locos también matan| Ah, este povo estúpido!!! » »




16 Comments

  1. Vin escreveu:

    Isso me lembra Thomas Pynchon. E também o filme “pí” (pi = 3.14159265). Cara, não me antenava muito para os seus posts no Garganta, mas depois destes dois (um complementa o outro), ficarei mais atento. Estão excelentes.

    Aliás, este post foi inspirado no bate-papo do Yuri com o Olavo de Carvalho? Se foi, lamento dizer: eu acredito nas teorias “conspiratórias” do Olavão, e, de quebra, do Reinaldão, Diogão…

    Mas tá valendo.

    Abraço!

    Comentário de 2-11-2006 @ 2:03 pm

  2. yuri vieira escreveu:

    Que bom que vc é colaborador deste blog, Daniel! Isso significa que há alguém aqui para segurar nossa moral, para ancorá-la. Pode parecer, mas não estou sendo irônico. Bem, não totalmente. Porque agora poderei dar asas à minha imaginação e continuar detectando cospirações por aí. Se eu viajar demais, pensarei: ah, o Daniel também escreve no blog, sozinho não conseguirei queimar nosso filme, logo, foda-se vou falar de ETs e o escambau. Aliás, estou achando que vc foi infiltrado neste site por alguma razão perversa. Talvez para me fazer crer que o que é fato na verdade não passa da minha imaginação paranóica… Mas… e se vc for um ET trevoso, um entrante? É só uma questão de esperar a verdade aparecer, imagino.

    Chamberlain atrasou a reação européia contra Hitler por achar que tudo não passava duma paranóia conspiratória. Todo mundo se preocupando com o chanceler maluco e o primeiro ministro britânico certamente dizendo, “calma, gente, ele já disse que o negócio dele é paz, o cara é até vegetariano…” O tempo mostrou que ele estava errado. Não com relação ao vegetarianismo, claro. E Hitler, por sua vez, usou “Os Protocolos dos Sábios de Sião” para “provar” aos alemães que havia uma conspiração judáica em curso no mundo. Um sem fim de judeus se apoderando dos bancos e da grana mundial…

    Será essa a forma de detectar uma conspiração verdadeira? Tese: quando alguém inventa uma conspiração é porque está conspirando. O que vc acha, Daniel? Os próprios Protocolos não passavam duma falsificação, encomendada pelo Czar, para conspirar contra os judeus. Essa gente que fala das tais conspirações da Igreja, no fundo, não querem outra coisa senão conspirar contra a própria e destruí-la. Afinal, pensam, “para quê serve a religião?” Alguns ufólogos – como o Ernesto Bono, cujo livro a Hilda Hilst me fez ler – acreditam que os EUA têm bases subterrâneas em comum com ETS trevosos. Oh! Será que o Ernesto Bono não passa dum comunista atrás de mais uma razão para sermos anti-americanos? Aliás, Fidel Castro, Hugo Chávez, Evo Morales e nossos amigos petistas acham que há uma conspiração malévola dos “imperialistas” norte-americanos contra nós, pobres terceiro mundistas. Se minha tese estiver certa, a conspiração deles (falo desses revolucionários socialistas) é que é real. (Ou, no mínimo, realmente malévola.) Como diz aquele nosso amigo, “acuse-os de fazer aquilo que vc faz”. Ora, uma coisa é fazer interpretações apressadas de peças que se movem no tabuleiro – Chávez criando bases na Bolívia, cubanos e venezuelanos em pleno intercâmbio logístico, Chávez chamando Bush de diabo dentro dos EUA, dirigentes das FARC hospedados com Olívio Dutra no RS, Fernandinho Beira-mar trocando armas por drogas com as FARC, Chávez abrigando guerrilheiros das FARC na Venezuela, PCC trocando armas por drogas com a mesma entidade, PCC criando o caos em SP durante o período eleitoral, MST e PCC fazendo intercâmbio e trocando belos conhecimentos, um secretário da Marta Suplicy é do PCC, advogados do PT que defendem membros do PCC e do MIR… nossa, a lista de eventos “acidentais” é infinita – e outra coisa é ler as atas das reuniões de toda essa gente, cheias de promessas de ajuda mútua e ações unificadas: as atas do Foro de São Paulo. Que poderia se chamar “Conspiração de São Paulo com provas fartas, por escrito, e assinadas por Lula, Fidel, Chávez, etc.“. Ah, mas o Foro deve ser invenção do Olavo, né, Daniel? Ele é louco, assim como todos os “olavetes”. E eu também, que nunca fui “olavete”, isto é, aluno dele, mas gostaria de ter sido. O fato de a maior parte dos textos do próprio Foro ter sumido de seu site assim que o Mídia Sem Máscara passou a tratar do assunto – e estão sumidos até hoje – há de ser mera coincidência. Talvez seja porque a coisa mais rara no mundo é alguém que entenda de webdesign…

    O que o Foro teria a esconder? Ou será que vc não vê o menor mal no dito cujo porque também acredita na “conspiração” dos imperialistas americanos e capitalistas em geral, não vendo na existência da entidade senão um contraponto?

    O que eu acho mais engraçado é quando acusam o Olavo de não ter provas e argumentos suficientes para provar o que diz em seus artigos. Meu Deus, será que ninguém leu “O Jardim das Aflições”?! Foi o primeiro livro que o Bruno Tolentino me pediu para ler lá na casa da Hilda Hilst. O Bruno estava com uns três livros dele (Bruno) lá, mas me falou: “Esse aqui é imprescindível, é fundamental para entender o mundo de hoje”. Se o Olavo está sempre descrevendo dados e mais dados aparentemente desconexos, essa desconexão só existe para quem não tem uma mínima noção do assunto tratado n'”O Jardim das Aflições. De Epicuro à Ressurreição de César: Ensaio sobre o Materialismo e a Religião Civil“. Como já dizia a Hilda Hilst, “informe-se”. Eu posso parecer bem maluco, mas meus mestres foram esses três aí, os maiores escritores brasileiros do final do século XX. E mestres no sentido da relação pessoal, não de admiração longínqua. Não sou o que sou à toa.

    Enfim, na verdade, acho que vc é um entrante mesmo, Daniel. Só estava te provocando pra ver se sua casca caía e eu então pudesse ver sua pele verde e escamosa de professor universitário interplanetário… 🙂

    A propósito: continue ancorando a moral do blog. Se depender de mim, serei apedrejado em muito pouco tempo, afinal, nem comecei a falar ainda sobre o que penso do Livro de Urântia… (Sentiu um calafrio percorrendo a espinha?) Para mim é uma revelação. E para vc? Uma conspiração?
    []’s

    Comentário de 2-11-2006 @ 2:50 pm

  3. yuri vieira escreveu:

    A propósito, Vinícius: se o Daniel escreve neste blog, isso não é à toa. Se fiz questão de chamar apenas amigos para participar – evitando assim atritos incontornáveis – chamei apenas amigos em quem reconheço uma inteligência acima da média. Sou paranóico, mas não sou bobo. 😛

    Comentário de 2-11-2006 @ 3:11 pm

  4. fiume escreveu:

    Sei não, acho que sua conspiração sobre a Igreja tem tudo a ver com a realidade (rs rs rs).

    No mais, não agüento mais teorias, ainda mais conspiratórias. Vamos para a prática!!! Por favor, imploro: vamos para a prática!!

    Tb acho que a imaginação do Yuri às vezes voa alto demais (mas deveríamos mesmo podar algo tão nobre como a imaginação? naturalmente que não, mas excessos nos desviam do caminho, seja lá qual for).

    Abs. R.

    Comentário de 2-11-2006 @ 3:22 pm

  5. O Garganta de Fogo » Sobre o livro “O Jardim das Aflições” escreveu:

    […] Eu sei que esta semana anda muito “olaviana”, mas eu não esperava outra coisa como conseqüência dos podcasts gravados com o Olavo de Carvalho. Com relação a eles, tenho recebido muitos emails, como já disse, ou muito positivos ou muito agressivos. Dentre estes últimos, a maior parte tenta ironizar a qualificação de filósofo que uso, na introdução, ao me refirir ao Olavo. Mas quantos de seus autores leram ao menos um livro dele? Nenhum, obviamente. Logo, faço pouco caso desse gênero de manifestação. O que me chateia mesmo é quando muita gente inteligente (com ou sem aspas) aparece para acusar o cara de teórico da conspiração. É para finalizar com esse debate bobo, esse que tenta equiparar a visão de mundo dele a mais uma simples “Teoria Conspiratória”, que publico agora o artigo de José Maria e Silva (do jornal Opção, de Goiânia), a respeito do excelente livro “O Jardim das Aflições: De Epicuro à Ressurreição de César. Ensaio sobre o Materialismo e a Religião Civil“. Como disse no comentário ao post do Daniel, foi o Bruno Tolentino quem, na casa da Hilda Hilst, me emprestou esse livro dizendo: “Essa obra é imprescindível, é fundamental para entender o mundo de hoje”. Se vc, leitor, ainda não consegue discernir o fundo sobre o qual o Olavo organiza suas figuras retiradas da realidade, saiba que está nesse livro a chave de tal compreensão. Se vc é preguiçoso ou preconceituoso, azar o seu. Será – sim, vou repetir – mais uma “mulher do padre”, mais um a chegar por último. Se vc ler esta ótima e muito bem escrita resenha do José Maria – e ainda assim não se interessar pelo livro – é porque vc certamente é do tipo que se une a “outras” de sua espécie para reclamar: “Vc viu? Esse aí está a dizer que nossos maridos são padres!” […]

    Pingback de 2-11-2006 @ 4:40 pm

  6. daniel christino escreveu:

    O Foro de São Paulo – cujo produto é uma mera “cara de intenções” – me lembra muito a ECO 92, da qual participei como…uhum…Coordenador Internacional de Mídia. Hahahaha. Eu ficava numa sala atendendo telefonemas e marcando entrevistas com a cúpula do Fórum. Enquanto isso, o verdadeiro evento, reunindo os líderes de mais de 50 países, acontecia em outro lugar. Conheci gente muito legal, e meus amigos Ricardo, Mauro e Paulo Paiva foram coordenadores e/ou facilitadores de grupos de trabalho em diversos temas. De cada um deles saiu uma carta de intenções envolvendo as ONG´s participantes da discussão. Entre elas estava OLP, IRA, Abaporu (“abstrai Paulo, abstrai”), PT, Onda Azul, Trilhas e Cavernas, e outras. Qualquer um poderia usar os anais do encontro para afirmar que esta rede de ONG´s queria “parar o desenvolvimento tecnológico e o crescimento econômico do mundo”. Queria fazer-nos novamente índios. Pois é. Havia gente – UDR – apostando nisso. O que foi feito destes acordos programáticos entre gente sem importância? Foram esquecidos, atropelados pelos eventos realmente relevantes da história. É isso que acho do Foro de São Paulo. Uma piada. O problema dos paranóicos e chatos é que eles não têm senso de humor a respeito de suas próprias paranóias, só sobre as dos outros.

    Comentário de 2-11-2006 @ 6:45 pm

  7. Paulo Paiva escreveu:

    Daniel, a PEQUENA diferença é que quem assinou as atas do Foro de São Paulo é atualmente o nosso presidente da república, com todos os poderes que isso implica. A coisa tá preta mesmo e vai ficar pior (eu estou tentando abstrair, vc sabe, mas o fato é que tem acontecido tudo que ele falou a anos atrás, com uma precisão muito pouco juscelino nóbrega da cruzista…).

    Comentário de 2-11-2006 @ 11:47 pm

  8. daniel christino escreveu:

    Eu retruco Paulo: observe as instituições. Avalie de acordo com seu funcionamento e não a partir de uma carta de intenções. Quando elas começarem a não funcionar, aí eu mesmo vou pra luta.

    Comentário de 3-11-2006 @ 2:02 am

  9. yuri vieira escreveu:

    Eu pensei que nosso parlamento, isto é, nosso Poder Legislativo fosse uma dessas instituições: o PT comprou todo mundo com mensalão e seu alarme, Daniel, não deu um piu sequer. O PT e o Lula afirmaram que o Judiciário – outra instituição – era uma “caixa preta”, trazendo à tona a idéia de um controle externo para ele. E o seu alarme? O Lula – cabeça do Poder Executivo, outra instituição – tomou decisões em conjunto com Chávez e Fidel, desrespeitando a soberania deste país, e sem dar a mínima satisfação ao Legislativo. E o seu alarme? Os exemplos são muitos, basta se informar.

    Com relação aos jornalistas de Goiânia – que segundo vc passaram uma pior na mão do governador – realmente não fiquei sabendo e, se tivesse me inteirado à época, teria botado a boca no trombone. O fato de o governador ser do PSDB não muda nada, é apenas um PT light. (“Neoliberal” é papo de neguinho bobo.)
    Abrazo!

    Comentário de 3-11-2006 @ 4:50 am

  10. yuri vieira escreveu:

    Um certo J. (nome e email retirado a pedido do leitor) teve o trabalho de reunir várias citações do Olavo a respeito das acusações de ser um paranóico por conspirações e mas enviou por email. Ei-las:

    “O expediente usual de quem nada tem a responder a uma denúncia irrefutável é deformá-la por meio de um rótulo pejorativo — e “teoria da conspiração” é pejorativo o bastante para colocar o acusado sob suspeita de delírio paranóico.”

    “É verdade que a maioria dos usuários do termo só soube dele pelo filme com Mel Gibson e Julia Roberts, mas isso só dá ainda maior eficácia ao seu emprego difamatório, pois a platéia também está por fora do assunto e nada tem mais força persuasiva do que a cumplicidade espontânea de duas ignorâncias. Se você quer ser acreditado sem a mínima contestação, fale sobre coisas das quais nada sabe a alguém que delas tudo ignore. É infalível. Na ausência total de referência objetiva, a unanimidade sonsa é uma tábua para os náufragos.”

    “no Brasil os termos correntes do vocabulário político nunca são usados para designar os objetos que lhes correspondem, mas para expressar os sentimentos toscos e confusos de adesão ou repulsa que se agitam na alma do falante. Por isso mesmo, as genuínas teorias da conspiração nunca são impugnadas como tais. São aceitas, ao contrário, como verdades de senso comum, com a condição única de que o suspeito da trama seja norte-americano.”

    “teoria da conspiração” é uma dentre mil muletas léxicas a serviço dos deficientes mentais loquazes que orientam e dirigem o país.”

    ***

    “Conheço bem a classe letrada brasileira. Sei que nela, sobretudo entre os jornalistas, são muitos os que, à simples leitura deste artigo, sem a mínima tentação de consultar as fontes, negarão tudo a priori mediante um risinho de desprezo cético e o recurso infalível ao estereótipo pejorativo da “teoria da conspiração”. Serão ouvidos com aprovação como se fossem as supremas autoridades no assunto, e eu passarei por louco. Um mundo em que trejeitos afetados convencem mais que toneladas de provas está abaixo da possibilidade de ser descrito até mesmo pelos instrumentos mais contundentes da arte da sátira.”

    ***

    “De início, ele o fará com uma certa afetação de tranqüilidade superior, rindo do interlocutor e atirando-lhe na cara o estereótipo fácil da “teoria da conspiração”, do qual aliás só tomou conhecimento por um título de filme e cujo sentido desconhece por completo. Depois, aos poucos, sob o bombardeio dos fatos que se sucedem, ele sentirá vacilar a falsa segurança de sua certeza inicial e, diante de qualquer tentativa mínima de tirar desses fatos as conclusões que eles logicamente impõem, começará a reagir com quatro pedras na mão. Fará do interlocutor o emissário do mal, vingando-se das más notícias na pessoa do carteiro.”

    Comentário de 3-11-2006 @ 4:57 am

  11. yuri vieira escreveu:

    Aliás, o Paulo tem razão: duvido que, caso um de vcs hoje em dia fosse o Presidente da República, esse um não usaria a rede de contatos tecida na ECO92 para atingir determinados objetivos.

    Além disso, Daniel, o que vc está dizendo é mais ou menos o seguinte: uma ameaça não tem o mesmo valor da sua atualização. Ora, uma ameaça é a potência do crime que há de vir. Só um maluco ignora alguém que lhe diz: “Fulano, essa área abaixo das pernas da tua mulher é uma ‘caixa-preta'”. Claro que bem intencionado o cara não está. Logo, melhor prevenir que remediar.
    []’s

    Comentário de 3-11-2006 @ 5:12 am

  12. daniel christino escreveu:

    Vamos ao parlamento. Humm…vamos ver até onde esta linha de raciocínio nos leva. Não apenas o governo compra deputados Yuri, as empresas também compram, assim como as entidades de classe (Bancos, Pecuaristas, etc.). Isso se chama Lobby Brasileiro (mal feito e desregulamentado). Se você entrar na política, terá que dançar com o diabo. É um dos motivos pelos quais aqueles que pretendem ter uma vida virtuosa escolhem o sacerdócio e não a política. Aliás, o sonho de intregração entre ambos levou gente muito boa a se aproximar da teologia da libertação (foi o caso de Dom Cláudio Hummes, escolhido pelo Papa para ser o novo Prefeito da Congregação para o Clero. E o Papa vem ao Brasil ano que vem, você vai?). Claro, merda acontece em todo lugar, mas o funcionamento do congresso está ligado ao direito de representação e à validade de suas decisões. Quem nós colocamos lá é problema nosso. Você não acompanha muito o que está sendo feito lá no Congresso, não é mesmo? Desliga aí o filtro, Yuri, e acesse um pouco o site do Congresso em Foco e da Transparência Brasil. Você verá que a corrupção não é uma questão apenas moral e entenderá como funciona o parlamento. Ainda assim mensalão, anões do orçamento, reeleição FHC, todas os problemas do congresso serão provas a seu favor, já que nunca antes na história deste país houve um governo verdadeiramente liberal, logo, vocês nunca fizeram merda, não é verdade?

    Eles podem afirmar o que quiserem sobre o Judiciário, há algum impedimento concreto, real, à ação da justiça em qualquer âmbito? Se você perguntar a um “adevogado” quais são as formas legais de se foder com a justiça ele te citará um rosário. É o problema do direito brasileiro, barroco em suas formulações e lento em seus procedimentos. Mas a justiça continua funcionando. O Governo continua processado e é obrigado a obedecer as ordens do judiciário. Aliás, quem defende a constituição é o Supremo, e até onde eu sei, ninguém revogou isso. Se você acionar a justiça contra o Estado e estiver certo, receberá sua indenização – demora, mas vai.

    Você citou algumas decisões tomadas em conjunto entre Chaves, Lula e Fidel. Ele era presidente à época? Quais foram estas decisões? Elas são contra a lei? Ferem princípios democráticos? Quais foram as consequências imediatas destas leis em termos de políticas públicas e ações de Estado – digo administrativamente e não politicamente? E, por favor, não coloque um link para um texto do Olavo, essa é uma tarefa sua.

    Em resumo: o Brasil faz muita merda consigo mesmo – ser fosse um indivíduo, teria sérios problemas psicopatológicos. Vota errado; é leniente com a corrupção endêmica; tem uma justiça dura de roer; produziu Lula e que tais. Mas nossos erros não podem ser simplesmente costurados numa interpretação francamente delirante e apresentados como provas cabais de sua veracidade. E chega desse papo (tá na hora de eu “afetar superioridade e rir do meu interlocutor”)

    Bem, quanto as citações do Olavo digo que ele está certíssimo em tudo o que diz. A Igreja Católica é quem realmente manda no mundo: o cristianismo é apenas uma política de Estado (esta é uma denúncia irrefutável, só há como reponder a ela deformando-a por meio de um rótulo pejorativo).

    Comentário de 3-11-2006 @ 12:09 pm

  13. daniel christino escreveu:

    Por fim, vamos fazer uma (duas, na verdade) apostas: a gente fica como está. Se o Lula fizer do Brasil uma ditadura de esquerda e formos, nós dois, fuzilados no paredão, você pode me azucrinar pela eternidade com o mantra do Cocotas e Motocas: “eu te disse, eu te disse”, “mas eu te disse, eu te disse”.

    Comentário de 3-11-2006 @ 12:17 pm

  14. Vin escreveu:

    Daniel,

    Vamos deixar de lado o “reductio ad absurdum”. O Yuri foi bastante claro em seus exemplos, mas sua mente insiste em tapar o sol com a peneira.

    Comentário de 3-11-2006 @ 4:21 pm

  15. yuri vieira escreveu:

    O cara que me enviou os excertos do Olavo me pediu pra tirar o nome dele dos comentários. Ou seja, até quem concorda com o Olavo prefere não assumir…

    Comentário de 3-11-2006 @ 5:53 pm

  16. Jacqueline escreveu:

    Yuri,tem uma filósofa q concordaria muito com o Olavo, é Maria Silvia de Carvalho Franco, professora dos departamentos de filosofia da Usp e Unicamp(Campinas/minha cidade)ela tem uma visão real dos fatos pois é professora ha 40 anos e acompanhou todo o trajetoria dos nossos políticos. Ela também diz que as ideologias emburressem, o q também concordo. Ela também diz que Lula é um tiranoe denuncia o oportunismo de intelectuais de esquerda. Portanto, nem todos conseguem acitar a realidade, ou percebe-la e não depende de inteligencia, percepção é algo que aprendemos a ter através de muita analise e interesse de ver os fatos como eles real mente são.
    Sucesso em suas entrevistas ,não desanime porque o mau é audacioso e tenta nos vencer.
    abraços

    Comentário de 3-11-2006 @ 9:12 pm

Sorry, the comment form is closed at this time.




Add to Technorati Favorites



Blogarama - The Blog Directory








81 queries. 0,747 seconds. | Alguns direitos reservados.