03/03/2007

O botão predileto dos socialistas

yuri vieira, 8:08 am
Filed under: Cotidiano,Política,Second Life

Já participei de dois debates filosóficos no Second Life – organizados pelos grupos History and Moral Philosophy e Verum’s Place – que me demonstraram claramente qual é o melhor argumento dos socialistas: o botão mute (mudo).

Num dos encontros, uma norte-americana, após palestrar sobre as maravilhas do marxismo, convidou os assistentes para um debate. Como os demais demoraram a se manifestar, fui pedindo desculpas pelo meu inglês de Tarzã e iniciei uma tentativa razoavelmente bem sucedida de refutar dois ou três pontos apresentados por ela como se axiomas consagrados fossem. Quando passei a criticar seu papo furado sobre a famigerada exploração – segundo ela totalmente indissociável do capitalismo – quis saber de onde eu estava tirando essas idéias foolish. Disse que de von Böhm-Bawerk. Pra quê… Começou a me pôr mil rótulos absurdos – neoliberal, fascista, fundamentalista de direita, etc. – sem querer ouvir mais nenhum dos meus argumentos. Chegou a dizer que von Böhm-Bawerk e von Mises não passavam de austríacos nazistas. (!) Neste momento, um norueguês tomou minhas dores e, mesmo se dizendo de esquerda, explanou com um inglês muito mais claro que o meu quais eram as críticas da escola austríaca de economia ao marxismo.

Claro que, após o debate, minha pulsão diplomática de ascendente em libra tentou entabular uma conversa mais informal com a palestrante. (Ela era bonitinha.) Cliquei, pois, sobre o avatar dela e selecionei IM, isto é, o Instant Messenger, através do qual é possível manter com alguém uma conversa privada ainda que diante de outras pessoas. E ela: “I’m sorry, Yuri, vou colocar vc na minha lista de ‘Mudos'”, e, pressionando o botão mute, me tornou incomunicável. Bom, ao menos para com ela. Pensei que o caso fosse um acontecimento extraordinário. Até ri. Contudo, dias depois, após um debate no Verum’s Place – no mesmo local em que ocorreu o caso do Homem Biscoito de Gengibre – resolvi conversar com uma figura de Hamburgo, uma que fazia parte do grupo Socialist Party. Queria apenas saber por que ela acreditava no socialismo. (Para quem não sabe, o socialismo é no mínimo uma crença.) Ela disse que era o único sistema que poderia trazer o bem ao planeta. Perguntei então o que ela acharia se o Partido Nazista fosse ressuscitado na Alemanha. Respondeu que seria o horror, uma vez que foram responsáveis, afora as mortes em batalhas, pelo extermínio de seis milhões de judeus.

“Logo”, eu disse, “um membro atual de um hipotético Novo Partido Nazista seria cúmplice moral dessas mortes”. “Sim”, ela concordou. “E por que”, tornei, “não é você uma cúmplice do assassinato sistemático de mais de cem milhões de pessoas pelos países socialistas no século XX?”, e citei a União Soviética e seus Gulags, a China, Pol Pot, Castro, etc., etc. Disse ela: “Yuri, I will ‘mute’ you”. E me silenciou. Comentei no chat aberto, para que ela e os demais circunstantes ouvissem: aposto que se vocês socialistas dispusessem desse botãozinho na “First Life”, iriam utilizá-lo a torto e a direito, nem precisariam de tantas prisões políticas! E ela então desapareceu. Provavelmente se teletransportou para alguma reunião do grupo Hell’s Worshipers, do qual também fazia parte…

Posts relacionados

Mais posts:

« « A las seis de la mañana (Facundo Cabral)| El Loro Cubano » »




5 Comments

  1. De Gustibus Non Est Disputandum escreveu:

    Dialogando com surdos

    Este depoimento só reforça minha crença na inutilidade do “debate democrático” (ou “debates em salas de bate-papo”) como meios minimamente eficazes de se aumentar o capital intelectual das pessoas.

    Fico com Robin Hanson e suas hipóteses sobre discussões e viés (ele tá sempre no blog de Oxford, aquele na coluna lateral à direita, acho que no “Overcoming bias”).

    Claudio

    Trackback de 3-3-2007 @ 9:40 am

  2. Thiago escreveu:

    Infelizmente tenho que concordar com voce pelo fato de que muitos “socialistas” utilizam o mute, mesmo na vida real, mas tambem discordo de voce sobre suas opinoes sobre o socialismo, claro que o debate sempre eh bom e o mute nunca deve ser apertado. So lembrando que o mute nao foi inventado pelos “socialistas”, mas que eles usam assim como todas as outras pessoas que sao arrogantes e nao sabem a importancia de um debate, independente do que acreditam. E tenho minhas duvidas se pessoas que fazem isso sao realmente socialistas ou oportunistas querendo dar uma de intelectual…

    Comentário de 3-3-2007 @ 2:54 pm

  3. Christian Rocha escreveu:

    Impressiona, mas não surpreende.

    Em ambientes mais simples já me deparei com esse tipo de estratégia. Os socialistas (ou aqueles que se dizem socialistas) são os piores defensores do socialismo.

    No IRC, conversando com alguém que decantava num canal as maravilhas teóricas do socialismo, pedi em particular mais detalhes dessa maravilha. Dez ou doze frases mais tarde (até que durou bastante) ela disse que precisava levar a bisavó na aula de Muay Thai (ou algo desse tipo, não lembro) e saiu de fininho.

    Comentário de 3-3-2007 @ 4:10 pm

  4. Jane Lamb escreveu:

    Só que nenhum desses países jamais foi socialista. Será que você não tem o nivel para entender isso? E aquela mulher deve ter sido idiota também. E um capitalista é um cara que não quer saber de nada, sobre ele mesmo. Não entender que capitalismo sem nada mais cria problemas é ser reducionista demais. Vou te tira da lista dos blogs que achava interessante. Qu’il fasse clair quand il fait jour (Lacan).

    Comentário de 3-3-2007 @ 6:05 pm

  5. yuri vieira escreveu:

    Jane
    Essa é a desculpa clássica dos socialistas: “ah, o socialismo de verdade nunca existiu”. Enquanto isso vão matando milhões apenas para tentar tirá-lo da cartola vermelha (de sangue). Já o capitalismo costuma matar por sua ausência. Onde há menos capitalismo, há menos prosperidade, mais pobreza. Mas, mesmo na pobreza, há a possibilidade da ação da caridade, ainda que esta venha da parte de outros pobres. O capitalismo é uma ferramenta, é amoral, não faz ninguém bonzinho por si só. Sua natureza ética depende de quem o utiliza, tal como uma faca que pode cortar pães ou gargantas. Ninguém em sã consciência pensaria em abolir facas por haver quem as use para cometer assassinatos. Já o socialismo é imoral, parte do princípio de que somos todos iguais e incapazes de escolher por nós mesmos, empurrando então o Estado para cima dos nossos ombros. O Estado socialista pretende abolir a consciência individual, e portanto a caridade pessoal, buscando monopolizar a bondade. Ninguém é mais bondoso que a casta dirigente socialista. O problema é que somos indivíduos. E o ser diferente é algo próprio do conceito de indivíduo, conceito este lançado aos quatro ventos por Jesus. Antes deste Mestre, a vida humana individual não tinha qualquer valor. E é a este estado de miséria interior que o socialismo pretende devolver o homem. “Você não tem valor, apenas a História e a coletividade.” Quando o homem não tem alma, o capitalismo se torna de fato uma arma terrível. Mas são as idéias socialistas que vivem tentando calar essa alma.

    Isso, apague o link deste blog dos seus favoritos. Seja mais uma prova do que andei dizendo: socialistas não aceitam uma visão mais ampla que seus preconceitos ideológicos. Vá, clique no butão mute.

    {}’s
    Yuri

    P.S.: Com relação ao Second Life, o chat é a ferramenta mais utilizada apenas porque o sistema ainda está em seus primórdios. Já é possível assistir a palestras com áudio ali.

    Comentário de 3-3-2007 @ 6:44 pm

Sorry, the comment form is closed at this time.




Add to Technorati Favorites



Blogarama - The Blog Directory








82 queries. 0,539 seconds. | Alguns direitos reservados.