O Garganta de Fogo

blog do escritor yuri vieira e convidados…

Um filósofo na Playboy

Leia o artigo aqui.

Anteriores

Encontro secreto da madrugada

Próximo

Notícia ou pesadelo?

14 Comments

  1. Poxa, aposto que tem um monte de caras comprando a Playboy só por causa do artigo. Abs. R.

  2. Com relação aos “adultos”, nada posso dizer. Eu mesmo não compro revistas. Mas sei que os garotos inteligentes – ou no mínimo curiosos – lêem a revista de cabo a rabo após a punheta. Quem só se interessa pelas fotos só tem a cabeça de baixo. Uma vez esvaziada, nada sobra. 😛

  3. Vin

    Com certeza, Yuri. E a revista playboy, como a Vip, tem essa característica elementar. Ambas, além de oferecer esse desbunde masculino, oferecem ótimas reportagens, entrevistas etc.

  4. Nossa, é mesmo! Como não vi isso? Me desculpem!

    Tenho certeza que aquele meu primo adolescente, com cara de CDF, já tá comentando com o amigo nerd: “Pô, cara, a Playboy tá com uma gostosa demais este mês. Mas o melhor mesmo é o artigo de um tal filósofo. Demais, cara! Chocante!”
    E já vejo aquele meu outro primo, adulto, se justificando pra mulher: “Não, querida, não é nada disso. Eu comprei mesmo por causa da entrevista. Está muito boa. O quê? Não, querida, você não está gorda, imagina!”

  5. Bom, eu me pautei num dado real, Rodrigo: do final dos anos 60 ao final dos 80, meu pai – eu não queria envolvê-lo aqui, mas, poxa, quem conhece meu pai sabe que ele é um super figura – então, meu pai, além das revistas Realidade, Seleções, Manchete, Veja, Planeta, UFO, História, SuperInteressante, Ciência, Apicultura, National Geographic, etc., etc. – colecionou também a Playboy, a Ele/Ela, a Status, a Hustler e a Penthouse. Talvez seu primo seja um idiota que possui apenas a cabeça de baixo – e esse adulto que vc citou também, e nem me referi a adultos, pois estão quase todos perdidos no Brasil – mas eu – digo, EU – eu li praticamente todas as entrevistas, artigos, matérias e contos dessas revistas ao longo daqueles anos. (As publicadas em inglês, menos, mas… enfim.) A Oriana Fallaci, por exemplo, sempre entrevistava um figurão pra Playboy. Sim, essas revistas se fixam essencialmente é no hedonismo, tanto pelas fotos quanto pelos textos, e eu nem afirmei o contrário disso.

    Veja: eu só publiquei a imagem e o link da Playboy – nada mais. O que chama a atenção é as pessoas considerarem o Olavo um enlouquecido fundamentalista católico de direita e ele aparecer publicado justamente numa revista desse tipo! Isso vc não notou. Então me diga agora: ele é mesmo um fundamentalista religioso? O Bin Laden escreveria um texto pra Playboy? O mais engraçado é vc vir com esse argumento – “ah, e quem é que se interessa pelo conteúdo escrito duma revista de mulher pelada?” – apenas no tocante aos textos do Olavo. Se é verdade o que vc está dizendo, por que a Playboy sempre publicou textos? Vc acha que todos os que a compram são simples punheteiros? Que as páginas com textos – aliás, a segunda maior porção da revista depois da publicidade – é apenas para limpar o esperma da punheta? E por que não vêm em papel jornal então? Essas suas piadinhas e essa nossa discussão são tão ridículas que nem sei por que fui perder meu tempo com elas.

    Eu, quando garoto, era punheteiro e inteligente. Se vc só era punheteiro, o problema é seu. Ou da sua namorada, sei lá.

    No fundo, o que eu quis dizer com meu primeiro comentário, ao excluir os adultos, é que talvez uma nova geração – eu aposto que os adolescentes e pré-adolescentes se interessam mais por essa revista que os adultos – terá acesso aos textos do Olavo sem o preconceito que vc, por exemplo, tem para com ele. Só isso. E nem sei se ele publicará mais coisas na Playboy. E, na verdade, nem me interessa.
    []’s 😛

  6. daniel christino

    Ah, o humor, que falta faz o humor. Depois vou publicar um texto esclarecedor do Graciliano Ramos.

  7. Nossa, Yuri. A despeito do emoticon no final, vc soou muito muito muito mal humorado nos seus comentários à piada do Rodrigo. Calma, foi só uma piada.

  8. Vou me apropriar da “alfinetada budista” do Pedro – “Chorar com o sábio é melhor que rir com o tolo” – e cunhar outra com uma pequeníssima alteração: “Chorar com o sábio é melhor que rir com dois tolos”, hehe.

    Parece-me que o Daniel continua lendo meus textos como se eu estivesse babando ódio ou sei lá o quê. Nem sequer percebeu a clave de sol – isto é, minha assinatura – no topo do comentário, que dava o tom pra coisa toda: “Mister Hyde”. Ora, é uma paródia de um surtado. Se isso não é humor, eu não sei o que é. Talvez ele pense que o humor não vai além de piadinhas bobas… Bem, do meu lado vejo que algumas pessoas têm é o senso de humor tão sutil que outras – que se julgam tão sábias – nem sequer o percebem. E ainda ameaçam me citar um escritor escorpiano, como se eu já não soubesse como é um por dentro… Como dizia a amiga Hilda Hilst, “Livrai-me, Senhor, dos abestados e dos atoleimados”. 😛

  9. Pô, tem gente se manisfestando por email sobre essa história, depois sou eu que levo as coisas a sério. Que frescura! Se falo certas coisas aqui é porque vcs são meus amigos e podemos, logo após um quebra-pau online, e como costumamos fazer, sair pra tomar uma cerveja. Poxa, eu e o Rodrigo somos amigos há quinze anos! Não é uma revista Playboy com um filósofo pelado que irá causar tretas na nossa amizade. Neguinho aí tá precisando praticar uma arte-marcial…
    []’s

  10. Paulo Paiva

    Yuri, calma. Menos. A emenda não melhorou o soneto. Sua piada foi excessivamente sutil, pois sua foto oblitera o apelido. 99% “das pessoa” não a percebeu (calculei agora no Excel). Foi assim, tipo Andy Kaufman.

    Assinado, Paulo, num momento de frescura e tentando botar mais lenha na fogueira.

  11. Vin

    Yuri,

    Acho que o pessoal tá precisamento mesmo é de “descascar o pentelho”, “de bater uma bronha”, “uma punheta”, pois a testosterona tá aporrinhando o saco…

    Não esqueça de mim quando sair com a turma do Garganta para tomar uma breja. Eu também quero, pô!

    Inté! 🙂

  12. Nossa, o negócio continuou?! Parei ali no número 8.

    Credo, tem homem demais neste post. Tá faltando mulher neste blog! Juiz pelado? Punheta? Pqp! Isso não tá indo muito bem. Já tô sentindo falta da Jamila.

    Rosa, nossa flor, por favor, nos salve com suas belas crônicas do distante mundo.

    Yuri, meu velho, onde estão suas amigas escrevinhadoras? Cadê a Cássia? Uma aminga roteirista? Alguma atriz? Nenhum prima blogueira?

    Traga-as para que possamos nos fingir de cultos e divertidos! (Ninguém se porta como “cara” na frente das meninas, já reparou?)

    Abs. R.

  13. daniel christino

    Não entendi?!?! Acusei o Mister Hyde de falta de humor, aí vem o Dr. Jekill e roda a baiana??? Muito sutil, realmente muito sutil.

  14. bruno costa

    Perdi uma blog-spaniel, de pelagem vermelha, dócil e bem-humorada, que atende pelo nome de Jamilla. Recompenso quem me informar sobre o seu paradeiro. Criança doente!

Os comentários estão desativados.

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén