O Garganta de Fogo

blog do escritor yuri vieira e convidados…

A abobrinha beijou a lona

Bem no quarteirão em que moro, há um restaurante vegetariano que, de vez em quando, freqüento. É um lacto-vegetariano, não tão extremo como um vegan — isto é, alguns pratos têm derivados de leite.

Não tenho muito preconceito quanto a alimentos. Com exceção de berinjela, como de tudo — a comida só não pode se mexer, mas não importo se sangrar.

O problema é que perdeu um pouco a graça comer no vegetariano. Explico.

Do lado dele, bem do lado mesmo, muro com muro, tem uma padaria. Uma destas bem paulistanas, que servem quase de tudo. Tempos atrás, ela fez uma grande reforma, mudou tudo de lugar. E ampliou seu cardápio de almoço, antes restrito a lanches e PFs. Agora há um bufê: arroz, feijão, uma saladinha, farofa, batata frita. Algo assim.

Aqui em São Paulo, em qualquer lugar que tenha um bufê, seja o boteco da esquina ou o Dinho’s Place, ele é acompanhado de grelhados.

Aí que é o bicho pegou.

No vegetariano, principalmente nas mesas no corredor externo que dá pro muro da padaria, você fica comendo uma abobrinha recheada com proteína de soja ou uma almôndega de soja ao sugo, que são gostosas, é bom que se diga, mas fica sentido o cheiro na picanha na grelha da padaria. É foda de encarar. É peso leve contra peso pesado. Uma covardia.

Anteriores

Adeus, Bruno!

Próximo

Meu livro no Flashpaper

3 Comments

  1. bruno costa

    Boa! Em cima de onde trabalho fica a grelha de um self-service, e às vezes a concentração é um tanto prejudicada pelo bafejamento vaporoso da gordura que exala de lá, despertando em mim, nos célebres dizeres do Roberto Jefferson, os instintos mais primitivos (seja o de comer a picanha, seja o de matar o churrasqueiro, depende do momento).

    Mas fiquei curioso para saber por que não gostas de berinjela… []s

  2. filipe

    proximo a universidade onde estudo (UFPE) tem 2 restaurantes vegetarianos. ambos cozinham deliciosamente bem. sendo q um deles é hare krishna, enquanto o outro é somente…vegetariano.
    pois bem. frequentemente almoço em um deles no intuito de fugir da alimentaçao costumeira, seja aquele prato de arroz com feijao tipicamente brasileiro, seja akeles lanches rapidos devido ao corre-corre.
    mas fico extremamente deprimido quando chego ao local e encontro, entre as deliciosas variedades de vegetais do estabelecimento, pratos q tentam imitar o gosto de carne, mas q sao a base de soja. exemplos: guisado de soja, bife de soja, soja moida, hamburguer de soja bla bla bla.
    porra…foda-se a carne…digo…a soja.

  3. Esse papo de guisado e bife também me deixou com uma fome…

Os comentários estão desativados.

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén