O Garganta de Fogo

blog do escritor yuri vieira e convidados…

Mês: novembro 2007 Page 1 of 3

Cuba

Do River Run:

Prisioneiros políticos de Cuba

Abaixo, segue uma lista de alguns dos prisioneiros políticos em Cuba. Reparem nos crimes que eles cometeram e na gravidade das sentenças. Alguns fazem parte do Projeto Varela, que apenas buscava coletar assinaturas para pedir eleições em Cuba.

Clique para ver a lista

Ambiente de trabalho

imagem173.jpg

Estampa de camiseta de um redator

7º bate-papo com Olavo – lado B

Agora, meu sétimo bate-papo com o Olavo de Carvalho, já publicado aqui, também está no You Tube.

Revelação

O Rabino Kaduri e o nome do Messias

Fiquei de cara ao ler a tradução do artigo Rabbi Reveals Name of the Messiah, do jornal Israel Today, no blog Saindo da Matrix. (Aliás, o Acid, dono do blog, é uma boa antena para esses assuntos.) Não sei se as pessoas ainda se lembram do rabino Yitzhak Kaduri, o mesmo que se negou a receber a “cabalística” Madonna:

“Ma o quê? Nunca ouvi falar.”

“Ela é cantora, rabi.”

“É judia?”

“Não.”

“Então não recebo.”

O cara atravessou todo o século XX, tornou-se um dos rabinos mais respeitados de Israel e faleceu, em Fevereiro de 2006, aos 108 anos de idade. (Esse teve muito tempo pra usar a cabeça.) Seu funeral atraiu cerca de 300.000 pessoas, a maioria de judeus ortodoxos. Enfim. A questão é que o cara deixou uma carta, que só deveria ser aberta um ano após sua morte, o que foi feito, na qual se encontra uma frase cujas primeiras letras de cada palavra formam o nome do Messias: “Yeshua”, ou seja, “Jesus”.

A tradução do hebráico ao inglês – que obviamente multiplica o número de palavras – é a seguinte: “Concerning the letter abbreviation of the Messiah’s name, He will lift the people and prove that his word and law are valid. This I have signed in the month of mercy.” (No tocante à carta com a abreviação do nome do Messias, Ele erguerá o povo e provará que sua palavra e lei são válidas. Isto eu subscrevi no Mês de Elul.) Isto, para os judeus, deveria ser um verdadeiro escândalo, isto é, um novo dado passível de abalar sua fé. Ao menos num certo aspecto, bastante importante por sinal: “era verdade, o Messias já veio e não o reconhecemos!!” Mas, por incrível que pareça, a notícia não repercutiu o suficiente.

Fico imaginando a cabeça desse rabino que, por anos e anos, deve ter estudado os textos religiosos de trás pra frente, e de frente pra trás, um milhão de vezes, pesando todos os fatos, todos os documentos, analisando suas visões (ele tinha visões, principalmente ligadas ao Messias) e adiando sua conclusão final para… seu próprio final. Deve ter se sentido uma ovelha negra, um José de Arimatéia, que também era rabino e um dos únicos membros do sinédrio a defender a posição de que Jesus era sim o Messias. José de Arimatéia ficou chocado com a teimosia dos judeus de seu tempo e com o apego destes a certos conceitos arraigados, tal como o de um Messias que é ao mesmo tempo um líder político nacional, um guerreiro e um homem santo. Para eles, de pouco adiantou Jesus ter seguido o roteiro definido pelos antigos profetas. Mas… e os cristãos?

Bem, os cristãos não irão ficar lá tão entusiasmados assim. Afinal, o rabino afirma que o Messias já se encontra em Israel, em carne e osso, e que, assim que falecer o ex-primeiro ministro Ariel Sharon (ele está em coma há mais de um ano), aquele se dará a conhecer. Em suma, o cara assumiu que Jesus é mesmo O Cara, mas continua com a mania judáica de esperar um líder nacional em forma divina e, ao mesmo tempo, material. Bom, cá entre nós, se o cara é Deus, ora, ele pode aparecer do jeito que quiser, né. Contanto que não se chame Inri Cristo, tudo bem.

Para mais informações, World Net Daily.

Melhor direção no 3º FestCine Gyn

12.jpg

Eu tenho andado tão “anti-blog” ultimamente — temos gastado proveitosamente nossas palavras no grupo de discussão dos colaboradores do Garganta — que sequer me dei ao trabalho de dizer que eu e Cássia ganhamos, no III FestCine Goiânia, o prêmio de Melhor Direção em curta-metragem por nosso filme ESPELHO. O juri era formado por Neuza Borges, Cecil Thiré, Germano Pereira, Guilherme de Almeida Prado, Telma Reston e Anselmo Pessoa Neto. Recebemos o prêmio das mãos do ator e diretor Cecil Thiré (foto), que tem um olhar azul aparentemente cheio de histórias para contar. Não pude deixar de mandar lembranças à mãe dele, a atriz Tônia Carrero.

Enfim, foi nosso primeiro prêmio com o ESPELHO. Agora veremos o que rola nos próximos festivais.

Grafite — 13

grafite13.jpg

Óscar Yanes: “Os venezuelanos não perceberam a gravidade da situação”

Do blog La Torre de Babel:

O ilustre jornalista, escritor e historiador Óscar Yanes foi entrevistado por Marianela Sálazar dando sua opinião sobre a Reforma Constitucional e as declarações recentes de Baduel. O jornalista, conhecido também como El Chivo Negro [o Bode Negro, sem esquecer que chivo também significa denúncia], afirmou “isto não é nenhuma reforma porque essa Assembléia Nacional não é uma Constituinte, aqui um ditador está impondo bases constitucionais, entre aspas, para que no dia 3 de Dezembro se possa estabelecer aqui um Estado Comunista”. Anexo o arquivo da entrevista para que tirem suas próprias conclusões.

Programa La Tertulia del 08Nov07.

[audio:http://ogil.es/blog/musica/tertulia081107.mp3]

A libido é uma caçadora solitária

Grafite — 12

grafite12.jpg

Page 1 of 3

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén