Arquivo para June, 2006




30/06/2006

Frase de cinema — 10

rodrigo fiume, 11:58 pm
Filed under: cinema

aspas_vermelhas_abre.gif

— Are you alone, Mr. Gittes?

— Isn’t everybody?

aspas_vermelhas_fecha.gif

Jack Nicholson responde a ???, em Chinatown (1974)

Rivalidade

rodrigo fiume, 6:31 pm
Filed under: Esportes,Imprensa

Esta rivalidade às vezes beira a imbelicidade — em ambos os lados, diga-se.

A Folha ligou para o argentinho Clarín após o jogo. Queria comprar fotos da repercussão da desclassificação na Copa (da comoção nas ruas, etc.). Seja lá quem atendeu bateu o telefone.

Parreirice

rodrigo fiume, 4:14 pm
Filed under: Esportes

aspas_vermelhas_abre.gif Não me lembro da seleção brasileira fazer marcação individual nem no Maradona aspas_vermelhas_fecha.gif

Carlos Alberto Parreira, hoje, em Frankfurt. Em 90, contra o Brasil, Maradona mal pegou na bola. Na única vez em que “respirou” na partida, deu um passe pro Caniggia, que ficou de cara pro gol e mandou a seleção brasileira para casa

Lulice

rodrigo fiume, 3:57 pm
Filed under: Cotidiano,Política

aspas_vermelhas_abre.gif Quando as pessoas vêm para o hospital e morrem na mão do Jatene [Adib Jatene, cirurgião, ex-ministro da Saúde], mesmo que ele tenha feito um erro, todo mundo morre satisfeito, morreu na mão do melhor. Isso é como o Zico perder um pênalti, ninguém vai dizer que ele é grosso, ele errou aspas_vermelhas_fecha.gif

Lula, na presença do Jatene, ontem

29/06/2006

O nano e eu

rodrigo fiume, 11:56 pm
Filed under: Cotidiano,tecnologia
Este post faz parte daquela série Confissões…

nano.jpgEntrei no mundo do MP3, finalmente, no 12 de junho. Tenho agora um iPod Nano 4G. É bem bacana mesmo; estou curtindo.

Meu problema em relação a estas maravilhosas geringonças é que eu sou meio — talvez inteiro — atrapalhado. Levo séculos para entendê-las e nunca, nunca mesmo, consigo usufruí-las totalmente. Fico só no básico.

Com o iPod não tem sido diferente. Primeiro, demorei uns bons minutos para entender o processo de carregamento da bateria — não tem de pôr na tomada; é feito via porta USB, algo que eu nunca tinha visto. Aí demorei mais um pouquinho (eu minto às vezes, ok?) para passar alguns CDs do Jobim para o bichinho. Até agora, só sei ouvir. E ainda apanho na hora de recarregar a bateria, porque aparece na telinha uma mensagem: “Não desligar”.
(Continua…)

Eita, mundo pequeno!

yuri vieira, 6:09 am
Filed under: Ciência,extraordinárias,meio ambiente

Recebi essas imagens do amigo Ricardo Azim, de Alto Paraíso. Veja na ordem, isto é, da esquerda para a direita.


Planetas
Planetas 2
Sol e planetas
Sol e outras estrelas
Estrelas

(Clique nas imagens para ampliá-las.)

Militares, Zé Dirceu, Globo, etc.

yuri vieira, 2:03 am
Filed under: Mídia,Política,tecnologia

O blog Alerta Total faz jus ao seu nome. As notícias que veicula são tão chocantes que a gente fica até sem fôlego, os olhos arregalados. Eu, por exemplo, não sabia dessa tal carta enviada por comandantes militares ao Senado. Diz o blog: (Continua…)

28/06/2006

O último espetáculo da diva

rodrigo fiume, 11:41 pm
Filed under: Arte,cinema,colírio,fotografia

marilyrosa.gifmarilynlastsitting7.gifmarilynlastsitting2.gifMARILYN.jpeg

Estas fotos fazem parte de um ensaio do fotógrafo americano Bert Stern para a Vogue. Foram feitas poucos dias antes da morte de Marilyn, em 5 de agosto de 1962 — a revista as publicou no dia seguinte. Stern a fotografou num quarto de hotel, num clima de estúdio improvisado, e construiu imagens marcadas por muita sensualidade e espontaneidade, como se vê. As fotos pertencem a colecionadores privados. Valem hoje uma fortuna.

Uma curiosidade: marcas vermelhas foram feitas pela própria diva nos negativos das imagens que ela não aprovou.

Imprimir | 3 comentários »

27/06/2006

A passagem dos anos

yuri vieira, 10:45 pm
Filed under: Cotidiano,fotografia

Taí um boa forma de apreciar a passagem dos anos.

Bolão ou sexo?

rodrigo fiume, 6:17 pm
Filed under: Esportes

Outra curiosidade, em época de Copa, que peguei da Folha Online:

Estudo revela que ganhar aposta no futebol pode ser melhor que orgasmo

da Folha de S.Paulo

Um estudo conduzido por uma universidade inglesa descobriu que acertar uma aposta num jogo de futebol pode ter um efeito nos batimentos cardíacos superior ao de um orgasmo.

“O nível cardíaco que registramos na primeira etapa da pesquisa estão à altura do que um indivíduo experimenta num clímax sexual e, em alguns casos, acima disso”, contou o professor Ron Maughan, da Universidade de Loughborough. (Continua…)

Até debaixo d’água

rodrigo fiume, 5:03 pm
Filed under: Esportes

ansa84091262706084523_big.jpeg Em tempos de Copa do Mundo, uma curiosidade que peguei no italiano La Repubblica. Também na Alemanha, está rolando o Mundial de Futebol Subaquático. São quatro times, de quatro jogadores cada. Cada tempo tem 8 minutos e a bola pesa 7,5 kg.

Que jogo horroroso!

pedro novaes, 2:43 pm
Filed under: Esportes

Olha, a verdade é que eu não queria escrever aqui sobre Copa do Mundo. Eu adoro futebol, mas acho um saco essa imbecilização e histeria coletiva. Mas eu não vou aguentar mais um jogo medíocre como esse e a cara de Monalisa desse Parreira.

Tá bom, vá lá, a vida de técnico não é nada fácil. Na verdade, o camarada tem que ser um babaca de saída pra querer assumir um posto desses, especialmente no Brasil. Tem que ser muito onipotente porque já se sabe de saída, não importa o que ele faça, que estará indo contra o senso comum e a vontade geral do povo.

Se não, vejamos. A anta do Parreira tem fama de retranqueiro e conservador. Tinha cinco dos melhores meio-campistas e atacantes do mundo – Ronaldo, Ronaldinho, Kaká, Adriano e Robinho – e se recusava a botar mais que três juntos em campo até a Copa das Confederações. Aí, tanto chiaram, tanto a imprensa falou, que até um cérebro entorpecido como o dele se convenceu. Desta forma, nasceu o “quadrado mágico”. (Continua…)

26/06/2006

100 filmes

rodrigo fiume, 11:48 pm
Filed under: cinema

Tempos atrás rolou uma brincadeira na rede na qual era preciso descobrir nomes de artistas ligados a uma gravadora — acho que era a Virgin — a partir de uma fotomontagem. Uma cobra branca, por exemplo, era a banda Whitesnake.

Agora está rolando outra, inspirada naquela, sobre filmes. São 100 ao todo. Aqui vai a foto para o caso de alguém quiser tentar (faça assim: deixe no comentário qual você descobriu). Só que é preciso lembrar que o nome do filme está em inglês (o IMDb, que se apresenta como o maior banco de dados sobre filmes na Terra, pode ser útil). Eu já recebi a foto com 60 nomes descobertos. Clique na imagem para ampliá-la.

Schopenhauer e os ideogramas

yuri vieira, 11:27 pm
Filed under: escritores,especulativas,livros,tecnologia

Já escrevi algumas vezes sobre o futuro dos ideogramas chineses, que certamente conquistarão todo o mundo. (Veja este artigo e estes posts:Pão em coreano e As línguas do futuro.) O que eu não sabia é que Schopenhauer já previra o mesmo há mais de um século:

Nós desprezamos os ideogramas chineses. No entanto, como a tarefa de toda escrita é evocar conceitos mediante sinais visíveis na mente alheia, apresentar à vista, em primeiro lugar, apenas um sinal equivalente ao sinal audível e fazer com que ele se transforme no único portador do próprio conceito representa, evidentemente, um grande desvio: com isso, nossa escrita por letras é apenas um sinal do sinal. Poderíamos então nos perguntar qual vantagem teria o sinal audível em relação àquele visível, a ponto de nos fazer deixar o caminho direto da vista à mente para tomar um desvio tão grande, como o de fazer o sinal visível falar à mente alheia apenas por meio do sinal audível; enquanto seria obviamente mais simples, à maneira dos chineses, fazer do sinal visível o portador direto do conceito, e não o mero sinal do som; tanto mais que o sentido da vista é sensível a modificações ainda mais numerosas e delicadas do que o da audição e, além disso, permite que as impressões sejam dispostas uma ao lado da outra, o que as afeições da audição, por sua vez, não são capazes de fazer, pois são dadas exclusivamente no tempo. Os motivos aqui indagados poderiam ser os seguintes: (Continua…)

A intolerância é uma máscara

yuri vieira, 7:11 pm
Filed under: Livro de Urântia,Religião

Em Ramá, Jesus teve o debate memorável com um filosofo grego idoso, cujos ensinamentos mostravam que a ciência e a filosofia eram suficientes para satisfazer as necessidades da experiência humana. Com paciência e compaixão, Jesus ouviu esse educador grego reconhecer a verdade de muitas coisas que ele dissera; mas Jesus apontou, quando o filósofo terminou, na sua argumentação sobre a existência humana, que ele havia deixado de explicar “de onde, o porquê e para onde”, e acrescentou: “Onde vós terminais é que nós começamos. A religião é uma revelação à alma do homem, que lida com as realidades espirituais, que a mente em si não poderia jamais descobrir, nem sondar integralmente. Os esforços intelectuais podem revelar os fatos da vida, mas o evangelho do Reino desvela as verdades do ser. Vós abordastes as sombras materiais da verdade; será que podereis agora escutar o que eu tenho para falar-vos, sobre as realidades eternas e espirituais que projetam, em sombras temporais transitórias, os fatos materiais da existência mortal?” E, por mais de uma hora, Jesus ensinou a esse grego sobre as verdades salvadoras do evangelho do Reino. O velho filósofo foi sensível ao modo de abordagem adotado pelo Mestre, e sendo honesto, sincero e de coração aberto, ele rapidamente acreditou nesse evangelho da salvação.

Os apóstolos ficaram um pouco desconsertados com o modo franco com o qual Jesus aquiesceu quanto a muitas das proposições do grego, mas Jesus disse a eles, depois, em particular: “Meus filhos, não vos admireis de que eu tenha sido tolerante com a filosofia do grego. A certeza interior verdadeira e genuína não teme, nem um pouco, uma análise exterior; a verdade também não se ressente de nenhuma crítica honesta. Vós não deveríeis, nunca, esquecer-vos de que a intolerância é uma máscara a encobrir as dúvidas secretas, alimentadas quanto à verdade da própria crença. Nenhum homem é perturbado, em momento algum, pela atitude do seu semelhante quando tem uma confiança perfeita na verdade daquilo em que acredita, de todo o coração. A coragem é a confiança daqueles que têm uma honestidade a toda prova quanto às coisas que professam acreditar. Os homens sinceros são destemidos quanto a um exame crítico das suas verdadeiras convicções e dos seus ideais nobres”.

Fonte: Documento 146, Cap.3 – A parada em Ramá.

24/06/2006

A herança de Abramo

pedro novaes, 7:49 pm
Filed under: Política

Cláudio Weber Abramo, em seu blog, inspirado ao estilo do pai:

O jornalista Claudio Abramo, meu pai, às vezes permitia que seu pessimismo arraigado transparecesse em seus escritos. Lembro-me de uma coluna em que declarava seu cansaço com a política brasileira, que considerava tediosa, carente de imaginação, indigente e deprimente.

Creio que seria difícil discordar disso, em especial à vista do que se observa por aí hoje em dia.

Vejamos. Aí vai uma tentativa de caracterização dos nossos valorosos partidos: (Continua…)



Page 1 of 5123...Last »

Add to Technorati Favorites



Blogarama - The Blog Directory








65 queries. 0.865 seconds. | Alguns direitos reservados.