Arquivo para December, 2005




28/12/2005

No Digestivo…

yuri vieira, 8:41 pm - espanol
  • Numa das caixas entupidas de livros que trouxe de São Paulo, encontrei o último exemplar da primeira edição (1998) do meu livro A Tragicomédia Acadêmica. Enviei-o ao Julio Daio Borges, que conheci na festa do Digestivo. E agora ele publicou uma nota a respeito. Muchas gracias, hermano.

    Um blog bilíngüe

    yuri vieira, 8:18 pm - espanol
  • Acho que já deu pra notar que este blog está com a pretensão de tornar-se bilíngüe, né. Agora, além de textos em português (pra não dizer em brasileiro), e sempre que tiver saco, publicarei versões em castellano de cada entrada. Dentro de alguns anos – quando eu sair da minha fase Tarzã no inglês e no francês – quem sabe eu não venha a incluir mais essas duas línguas? Tudo é possível.

    Vale lembrar que essa é minha forma de voltar a me aproximar da minha inesquecível e ótima família de intercâmbio equatoriana que, graças à minha eterna dureza, ainda não consegui rever. Les quiero y les estraño mucho!

    O que aprendi na Casa do Sol

    yuri vieira, 6:58 pm - espanol
  • Não posso evitar. Cada vez que alguém me pergunta o que foi que eu aprendi lá na Casa do Sol, residência da falecida Querhilda Hilst, as primeiras respostas que me vêm à cabeça são as seguintes: com o Mora Fuentes (escritor) aprendi a fazer um ótimo peixe assado; com o Bruno Tolentino (poeta) aprendi que é preciso cortar a couve bem fininha, senão ela não se casa bem com a feijoada (fizemos juntos ao menos umas quatro feijoadas); com o Guttenberg, amigo da Hilda e professor na USP, finalmente descobri como é que se faz um bom café; com o Chico (o caseiro) fiquei sabendo que realmente tem gente comendo rato (assado) no sertão deste país e que não há nada melhor do que um “zoião” frito; e, finalmente, com a Hilda… puts, com a Hilda não aprendi bulufas, afinal, ela não sabe sequer fritar um ovo, isto é, não sabe fazer nem mesmo um zoião…

    Do resto eu falo outra hora.

    24/12/2005

    A entrevista do Gabeira

    yuri vieira, 12:24 am
    Filed under: Economia,Política

    Só agora o Gabeira abriu o bico para dizer o que muitos já afirmavam séculos antes da eleição do presidente Mula:

    “Lula parece um daqueles grandes cafajestes, extremamente simpáticos, envolventes, que nos emocionam, mas nos enganam o tempo todo.”

    “Não há mais conteúdo transformador nenhum. A única preocupação deles é se manter no poder. Querem ter um carro preto oficial e as garotinhas correndo atrás com o microfone querendo ouvir o poder”, critica. “Dói ver os antigos amigos se transformarem em pessoas mesquinhas que vivem dando chutes para ninguém chegar perto e ameaçar o poder deles.”

    (Continua…)

    22/12/2005

    Meu ex-editor

    yuri vieira, 11:42 pm - espanol
  • Taí uma entrevista com o Ryoki Inoue, escritor que está no Guiness o Livro dos Recordes como o escritor mais prolífico do mundo (escreveu cerca de 1070 livros) e que, de quebra, editou meu primeiro livro em 1998. Ele dizia que o dito cujo venderia como água… (Sei, sei.)

    O trote do Evo Morales

    yuri vieira, 3:53 pm - espanol
  • O Grupo Risa, da Espanha, passou um trote no recém eleito presidente da Bolívia, Evo Morales, que acreditava estar falando com Zapatero, o presidente espanhol. Claro que os caras aproveitaram para fazê-lo confessar o óbvio: agora a Bolívia é mais uma conexão do Eixo Fidel-Chávez e Otários LTDA. (Trotes: taí mais uma boa função para o SkypeOut…)
    Leia mais na Reuters.

    Razão não, covardia

    yuri vieira, 1:49 pm - espanol
  • Mais uma chifrada das boas do nosso amigo taurino:

    “O que se opõe à fé não é a razão, é a covardia.”

    21/12/2005

    Blog do Tim Berners-Lee

    yuri vieira, 12:26 am
    Filed under: internet,sites,tecnologia

    E não é que o Tim Berners-Lee, criador da Web e do HTML finalmente lançou seu próprio blog?

    19/12/2005

    Passando dos mil

    yuri vieira, 1:30 pm - espanol
  • A comunidade orkutiana Comédia da vida universitária!, dedicada a meu livro, já está com 1006 membros. Obrigado a todos pelo apoio.

    16/12/2005

    Wikipedia X Britânica

    yuri vieira, 2:02 pm - espanol
  • E apesar do bafafá a respeito da mudança da política do site Wikipedia, que devido a erros exigirá mais rigor de seus voluntários, ainda assim a tal enciclopédia online perdeu por apenas um nariz sua “disputa”, no quesito exatidão, com a Enciclopédia Britânica. Leia aqui.

    Julio D. Borges, Pedro S. Câmara e euzito

    yuri vieira, 1:28 am
    Filed under: amigos,Educação,escritores

    Em 1997, um relâmpago de indignação cruzou o céu nublado da vida universitária brasileira. No Rio de Janeiro, Pedro Sette Câmara quase foi linchado (leia aqui) ao divulgar seu artigo onde provava que os politicamente corretos da Semana da Consciência Negra é que se comportavam como racistas. Em São Paulo, Julio Daio Borges publicava seu desabafo-manifesto “A Poli como Ela é“, causando polêmica entre seus colegas e professores e o reconhecimento quase solitário do jornalista Luis Nassif. Quanto a mim, em Brasília, eu finalizava o livro A Tragicomédia Acadêmica – Contos Imediatos do Terceiro Grau, iniciado em Outubro de 1996, que não foi senão minha vingança literária contra a modorra e a alienação que nos são incutidas pelas universidades (estudei em três delas). (Continua…)

    14/12/2005

    O muuundo animaaaal

    yuri vieira, 3:50 pm
    Filed under: Ciência,Mídia

    Ontem à noite, no canal Animal Planet, assisti à incrível saga do gringo que veio até a amazônia realizar seu mais acalentado sonho: agarrar uma sucuri de cinco metros! E não só agarrá-la: abraçá-la, enrolar-se nela, esfregar-se em suas escamas, banhar-se a dois, enfim, curtir uma transa, uma sacanagem com uma serpente gigante. Isto é o que eu chamo de inversão de valores. Quem já passou dos trinta deve se lembrar do programa O Mundo Animal, no qual o apresentador, ao contrário dos seus cinegrafistas, certamente não saía ou do jardim da sua casa ou do zoológico da cidade. Nem posso imaginar o que eu – como diria meu amigo Leo Razuk, eu, com minha “mente doentia” – iria pensar, quando criança, se percebesse toda aquela ânsia de se atracar a uma sucuri no simpático e ingênuo apresentador do Muuundo Animaaaal. Coitado daquele velho. Ele provavelmente já não se atracava sequer com a esposa, quanto mais com uma sucuri de cinco metros. Se ainda fosse uma índia, eu até entenderia: “Aaah, quer saber?, tô morrendo de vontade de ir até a amazônia me agarrar às tetas caídas duma ianomami…” Mas a uma cobra?! E quem viu esse episódio sabe que a surpresa não é só minha: a cobrona ficou de cara, juro. Ela mal pôde acreditar naquela situação: foi o índio branco, magro, alto e de cabelo amarelo que nadou atrás dela e a abraçou e não o contrário! Aposto que as demais sucuris, ao ouvi-la, até hoje burlam-se dela e ficam cochichando umas com as outras cada vez que ela se aproxima: “Lá vem aquela maluca que diz ter sido agarrada por um índio branco, coitada…” Alguém deveria ensinar um pouco de ética a esse biólogo documentarista. Ele pode causar danos psicológicos terríveis às pobres cobrinhas gigantescas. Tudo se passa como numa abdução por extraterrestres: a vítima tem de esconder a verdade para não cair vítima do ridículo e do ostracismo social. Vocês precisavam ver o cara, por assim dizer, fazendo amor com a bicha. Que coisa…

    13/12/2005

    Um iT ou um laptop de U$100?

    yuri vieira, 5:35 pm
    Filed under: Cotidiano,tecnologia

    U$100 LaptopPrimeiro foi o MIT e seu laptop de U$100 destinado a crianças carentes do terceiro mundo (isto é, do inferno na Terra), que certamente o venderão no semáforo mais próximo para comprar comida para suas famílias. Aliás, bem que eu queria esperar um deles aparecer na janela da minha Caravan 83 para finalmente – finalmente! – conseguir adquirir um laptop, ainda que um a manivela. (Aposto que a tal manivela faz cócegas num dinossaurozinho oculto lá dentro e que este, ao dar risadas e agitar-se, faz funcionar um dínamo ou coisa assim. Já que vivemos num país da idade da pedra lascada, tudo a ver.) Claro que os caras do MIT não perderam tempo em avisar que também venderão aos consumidores comuns esses mesmos laptops. Só que a U$200… Para um pobre escritor, muito caro.

    iTDaí, logo em seguida, eu ficar feliz ao descobrir esse iT, que além de super funcional (i bunitim) custa apenas U$0,00 (zero dólares). Sim, basta vc dar uma olhada de soslaio vezenquando para as teclas patrocinadas e pronto, tá pago. Eu queeero! Eu queeero! Eu queeero!

    “Aposto que a China – o troço é chinês – já meteu um chip por dentro para melhor nos rastrear, planeta afora, via satélite”, disse o paranóico do Señor Recóndito.

    “De graça, até um laptop na testa”, respondi. “Depois a gente arranja uns hackers pra extraírem o dente grampeado do bicho. Vc não assistiu a Os Doze Macacos?”

    “Pode ser… Pode ser…”

    A propósito: iBunitim seria um bom nome abrasileirado para qualquer desses dois aparelhos. Vou patentear…

    Al Qaeda na China

    yuri vieira, 4:11 pm
    Filed under: Política

    Segundo o artigo Al Qaeda’s Passage to China, da DEBKAfile, os terroristas dessa gangue islâmica já estão com suas células chinesas prontinhas para agir contra embaixadas, empresas e turistas norte-americanos. Já estão juntando a fome anti-americana com a vontade de comer os senhores do Dólar…

    11/12/2005

    José Dirceu on the road

    yuri vieira, 3:34 pm
    Filed under: Cotidiano,Política

    Escreveu Cláudio Humberto, em sua coluna do dia 03/12:

    Dirceu sabia que seria cassado
    O ex-deputado José Dirceu tinha tanta certeza que seu mandato seria cassado, que, antes mesmo da votação de quarta-feira, ele já havia renovado o visto de entrada e programado uma temporada nos Estados Unidos. Sua base será em Washington, a partir de janeiro, e planeja palestras em multinacionais com interesses no Brasil e em universidades. Também obteve sua “drive licence”, carteira de motorista válida nos EUA.

    Assim, ó
    Preso político trocado em 1969 por Charles Elbrick, embaixador americano seqüestrado, José Dirceu virou queridinho da turma de George W. Bush: seu circuito de palestras nos EUA tem o apoio do Departamento de Estado.

    Engraçado como o anti-americanismo dessa gente acaba quando, no plano pessoal, se está numa pior. Por que será que o petista bengalado não planejou um circuito de palestras na Venezuela, em Cuba ou nos acampamentos do MST? Ah, claro, que infantilidade a minha: nesses lugares as acomodações não devem ser tão boas quanto a dos hotéis americanos, sem falar na má condição dos meios de transporte e, sobretudo, na pouca grana que ali receberia por cada palestra. Dirceu é louco e mentiroso, mas não é burro.

    O dia do Juízo

    yuri vieira, 2:52 pm
    Filed under: especulativas

    Segundo meu profundo estudo dos arcanos do Apocalipse, o fim do mundo se dará assim que o Sílvio Santos morrer, isto é, daqui 53 anos…



    Page 1 of 212

    Add to Technorati Favorites



    Blogarama - The Blog Directory








    65 queries. 0.965 seconds. | Alguns direitos reservados.