O Garganta de Fogo

blog do escritor yuri vieira e convidados…

Categoria: este blog Page 1 of 10

Blog extinto

Conforme escrevi em algum post, este blog deve seu nome ao vulcão Tungurahua — do quechua “o Garganta de Fogo” –, um enorme e nevado cone de 5060 metros de altura que escalei no Equador e que, ao contrário deste blog, anda bastante ativo. Sim, aparentemente este blog já era, acabou-se, extinguiu-se. E assim permanecerá sabe-se lá por quanto tempo. Eu é que não sei. (Os textos já publicados ficarão por aqui até segunda ordem.)

Talvez eu inicie outro blog. Talvez não. No momento estou de saco cheio. (O fato é que, de 2002 para cá, meu blog nasceu e morreu umas três ou quatro vezes, logo…)

Quem quiser acompanhar meus artigos, crônicas, contos e demais trabalhos, fique ligado no meu Twitter, no meu site, no meu canal do You Tube, etc., etc. (Para outros links, melhor checar minha página no MeAdiciona.)

É isto. Feliz 2009 a todos e que Deus os abençoe.

_______
Atualização do dia 31 de Março de 2009: pois é, criei outro blog.

Blog em coma

Um blog com tantos e tão ocupados colaboradores… tsc, tsc, tsc.

Estou considerando a idéia de, assim que três imagens do Second Life forem publicadas sem posts intermediários, a idéia de passar a faca na Garganta de Fogo e voltar novamente à carreira solo… 🙂

Ao menos meu Twitter anda movimentado.

A Internet rastreada

Foi aprovada ontem no Senado Federal proposta substitutiva ao projeto de Lei da Câmara que trata dos crimes praticados na Internet. É o famigerado texto do senador Eduardo Azeredo. A blogosfera entrou em alerta. Os argumentos levantados em diversos sites podem ser resumidos a dois principais, ilustrados aqui pelo Pedro Dória e pelo Carlos Castilho. Segundo o Doria,

A lei cria o provedor que delata. Se uma gravadora, por exemplo, rastreia que um usuário ligado ao Speedy em São Paulo ou ao Vírtua em Maceió está usando a rede Bit Torrent, de troca de arquivos, ela pode ir à Justiça pedir a identidade do sujeito. Telefónica (do Speedy) ou Net (do Vírtua) são obrigados a dizer quem foi. Não importa que, muitas vezes, os arquivos trocados sejam legais. O fato é que todo provedor de acesso se verá obrigado a manter por três anos uma listagem de quem fez o quê e que lugares visitou na web. É como se os Correios mantivessem uma lista de todos os usuários de seu serviço e que indicasse com quem cada um se correspondeu neste período de anos. É coisa de Estado policial e uma franca violação da liberdade.

Outro problema da lei é a proibição de que se ‘obtenha dado ou informação disponível em rede de computadores, dispositivo de comunicação ou sistema informatizado, sem autorização do legítimo titular, quando exigida.’ Vai uma pena de 2 a 4 anos, mais multa. O objetivo, evidentemente, é proibir pirataria. Mas imagine-se a loucura de ter a necessidade de provar que está autorizado a carregar qualquer informação colhida na rede.

A rede é, essencialmente, uma máquina de cópias. Carregou esta página do Weblog? Há uma cópia dela em seu HD. Um CD comprado só permite seu uso em CD players. A não ser que Herbert Viana ou outro dos Paralams o autorize expressamente, nada de passar para o iPod. O Google está digitalizando milhares de livros fora de catálogo. Muitos deles têm o detentor do copyright desconhecido. Se o dono aparecer, eles tiram da lista. Em caso contrário, fica público. No Brasil, se o substituto do senador Azeredo for aprovado, esta que será a maior biblioteca pública do mundo será ilegal. Esse artigo é tão mal escrito que, no fim das contas proíbe o uso da Internet.

O Castilho acrescenta o pertinente argumento de que é uma lei antiga para uma coisa nova. O descompasso pode torná-la obsoleta.

Para criar um conjunto de condutas e valores capazes de coibir a delinqüência virtual (tipo pedofilia, roubo, difamação, chantagem, terrorismo etc) é necessário primeiro procurar entender a natureza do processo no qual estão inseridas a internet e a Web. Impor um modelo repressor idêntico ao usado para canais de comunicação como radio, televisão e cinema, é uma absurda perda de tempo e de energias, porque até os neófitos da rede sabem que será um fracasso.

A internet não é apenas um conjunto de computadores interligados entre si. Ela já é uma expressão do novo sistema de produção econômica e cultural gerado a partir de inovações tecnológicas como a computação e a digitalização, que por sua vez são o resultado de pressões dos agentes econômicos por processos mais rápidos e automatizdos, capazes de atender à demanda de uma população em crescimento acelerado.

O mundo moderno tornou-se complexo demais para que continuemos a usar sistemas e valores surgidos junto com a da revolução industrial. No contexto atual, a troca e conseqüente recombinação de informações, sejam elas em texto, áudio ou imagens precisa ser a mais ampla possível para que os conhecimentos sejam produzidos no ritmo exigido pela economia e pela sociedade contemporânea.

Não se trata, portanto, de ser contra a tentativa de normatizar o uso da Internet e previnir crimes como pedofilia. O problema é que esta propsta não consegue fazer o que promete e ainda atrapalha o que está funcionando. Quem quiser pode assinar a petição aqui.

Carta a uma jovem suicida

O texto que virá mais abaixo é minha resposta ao seguinte comentário:

A new comment on the post #3306 “Amigos suicidas” is waiting for your approval:

Author : Jane (IP: 189.94.67.32 , 189.94.67.32)
E-mail : minina_jane@[XXXXXXX]
URL :
Whois :
Comment:
Há alguns dias, me acometi de uma tristeza imensa…
Domingo dia 27 de abril eu resolvi, me vi com minha família completa e quis levar aquela imagem feliz, tomei uns anti-depressivos muito fortes, ouvindo uns flash backs, com copos e mais copos de um bom vinho, me senti leve e fui adormecendo e achei que seria o fim, em minhas mãos só escrevi tudo em letras maíusculas, pedindo PERDÃO a meus pais, na tarde do dia seguinte, me vi em um hospiral com minha mãe com o mesmo sorriso que creio eu que tenha sido o mesmo ao qual ela me viu pela primeira vez, hoje me sinto melhor, estou na minha casa meu pai reagiu de uma forma calma, só que não sei se ainda tenho certeza que vou continuar com minha vida !!!

Carta a uma jovem suicida

Cara Jane, eu tenho andado com uma preguiça de rachar o chão tanto no que se refere a escrever neste blog quanto a responder a comentários em geral e a provocações bobas de listas de discussão. Mas este seu comentário no blog — assimilado junto com o café forte que acabo de fazer — me causou um sentimento de urgência pungente. Talvez eu até precise dar uma pausa para ir ao banheiro, entende?, mas… enfim. Você está realmente pensando em se matar? Quer mesmo tentar de novo? Bom, tenho então algumas coisas a lhe dizer:

Ler mais

Voltamos

Este blog ficou uma semana offline devido a problemas no servidor. (Na verdade, os caras suspenderam minha conta até que eu desse um jeito no script.) Instalei, pois, o wp-cache. Vamos ver se é o suficiente para não sobrecarregar a CPU da Routhost.

Dreamhost Promo Codes

This are our DreamHost Promo Codes that new customers can use to get a one-time discount while signing up!
(Estes são nossos Códigos de Promoção da DreamHost que novos clientes podem utilizar para conseguir um desconto durante sua inscrição.)

– Use code KARALOKA to get US$97 off any level 1- or 2-year hosting plan, or US$50 off any monthly plan;

– Use code KARALOKA2 to get one more Lifetime domain registration and US$82 off any level 1- or 2-year hosting plan, or to get one more “Lifetime domain registration” and US$50 off any monthly plan;

– Use code KARALOKA3 to get a “One free Unique IP” and US$67 off any level 1- or 2-year hosting plan, or a “One free Unique IP” and US$50 off any monthly plan.

Quanto custa seu blog?

Pelo que pude conferir, se vendêssemos este blog, não conseguiríamos comprar sequer uma moto que preste. Mas há blogueiros por aí que poderiam comprar um apartamento no Leblon. 🙂

Vc já sabe quanto vale seu blog?

Aviso

Este colunista está de férias. Volta quando der.

Abs.

R.

Fomos hackeados!

Este site já sofreu outros ataques antes, mas o problema nunca foi além da alteração de senhas, emails de contato e permissões. Desta vez, aproveitando-se de alguma falha de segurança do WordPress, que estava desatualizado há alguns meses, conseguiram deletar todo o banco de dados do blog. Meu becape era de Fevereiro e pensei que teria de sair recolhendo os posts de Março “Googleputer” afora, isto é, no cache criado pelo robot do Google, o que de fato acabei fazendo. Mas meu serviço de hospedagem (Routhost.com) finalmente respondeu positivamente à minha angustiada mensagem – afinal, em sua página há a garantia de becape diário – e, após me lembrar de que a culpa não era deles, mas minha, pois não tenho mantido o script up-to-date, voilà, o blog está de volta. (Ufa!…)

Claro que isso tudo gerou mais uma discussão interna. Neste blog coletivo, basta alguém peidar e logo um outro vai dizendo, “não concordo com seu peido, foi muito cheiroso”. Enfim, disseram que sou paranóico. Com algumas adaptações, eis minha resposta:

Cara
Passei a noite inteira reinstalando o script do blog e esperando uma resposta positiva do Routhost.com, que, por fim, havia mesmo feito o becape do MySQL. (Na página deles, há a promessa de becape diário.) Repito, não foi uma simples falha: desta vez, o banco de dados do WordPress zerou completamente, enquanto o do Joomla (meu site) e o do Loudblog (podcast) continuaram intactos. Fiquei espantado com a técnica dos caras: descobriram uma falha no WordPress e invadiram de fato o phpMyAdmin. (O Routhost fez questão de me lembrar que a culpa não era deles, uma vez que vivem insistindo para mantermos os scripts up-to-date .) Em suma, que eu saiba paranóia é algo que vive dentro da nossa imaginação, não é um bichinho que sai por aí apagando conteúdo de sites…

Tal como escrevi provisoriamente na página inicial – já retirei o texto – não afirmo que alguém tenha feito isso a mando de algum figurão ou sei lá eu – somos seguramente mais irrelevantes do que imaginamos -, mas certamente foi o ato espontâneo de alguém que não concorda com o que escrevemos. A rede de influência revolucionária (bolivariana, se preferir) age por contágio, passa de bobo para bobo, e isso se chama hegemonia.

Quanto à saída do “armário conspiratório” do Paulo, bem, ele jamais se tornará um paranóico profissional como eu. Eis a prova: e se esse tal de Mozy.com, recomendado por ele, não for senão um serviço de becape bancado pela turma da Nova Ordem Mundial? Quem garante que eles não fuçam em nossos dados? Tenho quase certeza de que, se eu subisse meu HD ali, em poucos minutos um helicóptero preto sobrevoaria minha casa e desovaria um bando de soldados trajados à la Swat.

Alguém quer competir comigo? 🙂
Abraços
Yuri

Para finalizar, quero dizer aos meus colegas que, se não tenho atualizado o script com maior freqüência, isto se deve a que ele utiliza muitos plugins diferentes. Cada nova versão do WordPress exige a atualização de boa parte deles. E seus criadores nem sempre têm tempo para acompanhar o andar da carruagem. Daí a demora.

E tudo isso, por algum motivo, me fez lembrar que faz vinte e três anos que ganhei meu primeiro computador: um CP400 Color II, da Prológica. Credo, não sei o que é pior: ser atacado por hackers ou ser atacado pelo tempo?

O Garganta de Fogo em erupção

Eu certamente já esclareci isto em algum post, mas, se ainda não o fiz, faço-o agora: este blog deve seu nome ao vulcão equatoriano Tungurahua (do quechua Garganta de fogo), de 5060 metros, que a duras penas escalei anos atrás, antes que reiniciasse a série de erupções em que se meteu a partir de 1999. (Veja as fotos no meu perfil.) A foto abaixo foi eleita a foto do dia pela Folha de São Paulo. (Isso é o que eu chamo de propaganda subliminar…) Que Deus olhe pelo povo de Baños e de Ambato, Província de Tungurahua, e pela família Naranjo, minha família de intercâmbio, que vive próxima ao vulcão Cotopaxi (5890m), alguns quilômetros mais ao norte, que também escalei, e que ainda é ativo. Viver à base dum vulcão é como viver coletivamente sob a espada de Dâmocles.

tungurahua3.jpg

Page 1 of 10

Desenvolvido em WordPress & Tema por Anders Norén